RECEBA AS NOVIDADES DO BLOG EM PRIMEIRA MÃO!

segunda-feira, 2 de abril de 2012

O frio está chegando! Hora de andar MAIS de moto!!!

Vamos andar mais de moto? O frio está chegando! Época excelente, portanto, para motocar!!!


Claro, isso é um conceito muito particular, e não vou "condenar" aqueles que preferem o calor para andar de moto, mas eu tenho razões bastante lógicas para preferir o frio do que o calor para andar de moto. Algumas delas são:
- no frio as motos onde o motor tem a tendência sádica de "esquentar" suas pernas e "partes baixas", não incomoda em nada. Muito pelo contrário;
- o frio OBRIGA que você utilize todo equipamento de segurança e mais um pouco, como casaco de cordura, calça do mesmo material, botas, luvas reforçadas, um bom capacete fechado, balaclava e bastante roupa por baixo;
- quando está muito frio, a probabilidade de chover é muito menor;
- no frio o asfalto não fica quente;
- fora lugares como regiões serranas, que exploram o "turismo de inverno", no frio fica muito mais em conta visitar alguns lugares de paisagens magníficas;
- particularmente acho que a paisagem fica mais bonita no outono e inverno;
- no outono e mesmo no início do inverno, visitar a região dos andes é beeeemmmm legal.

Claro que, uma friaca das boas em cima da moto, para alguns pode não ser o melhor dos mundos ou a experiência mais agradável da vida. A temperatura mais baixa que peguei em cima da moto foram 19º centígrados negativos. Não é a melhor sensação, ainda mais quando você não está com o equipamento adequado. Eu não estava... Cheguei bem perto de uma hipotermia*. O lado bom disso é que aprendi um monte e hoje entendo que estou apto a enfrentar temperaturas mais extremas.

Então, já que estamos falando de frio e de moto, quais as recomendações principais para encarar as baixas temperaturas???

Tenho algumas premissas básicas para isso. Algumas quanto ao piloto e outras quanto a moto, estilo de pilotagem, etc.

Primeiramente, vamos à parte boa: alimentação!

Nunca, nunca, nunca, mas nunca mesmo saia sem tomar um bom café da manhã. Diversas vezes eu saí cedinho para "comer" a maior quilometragem possível em determinado dia, em detrimento de um bom café da manhã, com a desculpa de comer na estrada. O problema é que ao sair cedo você pega a maior friaca possível, vai se deparar com muita coisa fechada ainda (há alguns postos que não abrem antes de 8 ou 9 da manhã) e, de barriga vazia, a coisa fica bem mais complicada. Você vai ter a sensação de que continua cansado e/ou vai esgotar-se mais rápido durante o dia. Quando para para o café, vai acabar invariavelmente levando mais tempo tomando o mesmo do que levaria se o tivesse feito no hotel. Ou seja, ao final e ao cabo, vantagem nenhuma. Claro, não dá para exagerar e fazer como uns que outros que - de tanto enrolarem - acabam saindo lá pelas 10 da manhã. Principalmente se você estiver viajando em grupo, deve lembrar que as suas "prioridades" podem não ser as prioridades dos demais. Então, nessas situações, consulte a hora que o grupo quer sair e efetivamente esteja em cima da moto, com a mesma carregada e ligada naquele horário. Por outro lado, se estiver viajando sozinho, também estabeleça para você um horário. Eu tenho para mim que 8h da manhã é a hora ideal para partir (salvo no primeiro dia e uma viagem longa, quando gosto de sair antes do sol nascer).

A segunda parte é quanto a vestimenta. O que usar?

O melhor é roupa de baixo longas. Existem no mercado diversas opções, desde produtos mais simples (os chamados "mijões" ou ceroulas) aos mais sofisticados (termic underweare, long john, solo, etc.). Eu gosto muito de produtos da marca Solo, ainda que estes sejam um tanto mais caros que os demais. Claro, tenho conhecidos que insistem em dizer que o melhor é uma meia calça feminina grossa, mas, particularmente, eu acho isso um tanto "estranho", principalmente porque urino em pé. Para o rosto, pode usar uma balaclava de seda ou outro material térmico que deixe só olhos de fora (procure os que tem uma fenda para os olhos, não use jamais os que tem buracos para os olhos, principalmente de baixa qualidade, pois a balaclava pode se deslocar e deixar você sem visibilidade por alguns segundos fatais). Nas mãos, uma luva "segunda pele" térmica vai bem, com outra térmica mais grossa, de proteção e impermeável (até hoje não encontrei uma que fosse realmente impermeável) por cima. Os pés são outra área de extrema e vital importância proteger. Nos mesmos geralmente uso duas meias: uma mais fina por baixo (do tipo social ou "carpim" como dizem por aqui) e outra mais grossa por cima desta (acho as para jogo de futebol profissional ideais, ainda que um pouco mais caras, quando de qualidade). Por cima de tudo, uma boa bota impermeável. Como vão duas meias, importante de lembrar comprar uma bota com um número maior. Um pé apertado no frio é o pior dos mundos, pelo que já vou discorrer na sequência. E claro, um conjunto de cordura (esqueça o couro para o frio!) com proteção térmica e um capacete de qualidade de preferência com sobre viseira anti-embaçante.

Em terceiro, não podemos esquecer da moto!

Para encarar o frio, eu sempre prefiro motos maiores em detrimento das menores. Isso porque numa moto menor provavelmente você não terá ou não poderá instalar um aquecedor de manoplas (a bateria não suporta). Eu sempre achei esse item uma grande bobagem, até o dia que usei uma moto COM aquecedores de manopla, no inverno. Claro que, na maioria das motos, esse é um item que ainda poderia ser melhorado um tanto, porque geralmente ou torram as mãos ou não as deixam minimamente quentes. Não existe regulagem precisa do equipamento e geralmente você só tem duas opções: quente vulcão ou morninho gelado. Aí é que entra o segundo equipamento de suma importância na moto: bons protetores de manete. Quando falo bons, leia-se de tamanho ideal. Nada exageradamente grande, mas nada tão pequeno que não ataque o vento. Há ainda os que instalam as chamadas "polainas" nos manetes (muito comum no meio motoboyzístico), mas eu tenho alguma resistência quanto ao uso das mesmas. Não que as ache ruins. Simplesmente as acho perigosas. Não é raro você ter de soltar a mão do manete e, quando vai tentar enfiar ela lá de novo, o bagulho se fechou de tal jeito que você tem de perder um tempo enorme - e consequentemente seguntos preciosos de atenção na pilotagem - para conseguir agarrar o manete novamente. Sem falar, é claro, que normalmente a mão que você soltou vai ser a do acelerador, e, que é pior, onde está o freio efetivo: o dianteiro. No mais é espaço para a bagagem (lembrando que roupas de frio ocupam bem mais espaço) e conforto sobre a moto. Uma boa bolha (mais um ponto para as motos maiores) também será muito bem vinda para atacar o vento gelado.

Por fim, quanto ao estilo de pilotagem, lembre-se que quanto mais rápido você pilotar, mais cairá a temperatura. Acima de 100km/h, qualquer temperatura ambiente abaixo de 12ºC, já lhe levará a suportar "na pele" temperaturas negativas. Se estivermos há 5ºC então, há 100k/h, teremos uma sensação térmica** de -12ºC, o que significa que o motociclista, em geral, sofrerá com uma temperatura de 15ºC à menos do que a temperatura ambiente!!! O que seu corpo aguenta não é a temperatura ambiente, e sim a sensação térmica. Assim, abaixo dos 25ºC, já é bom ir pensando numa boa roupinha de inverno para andar de moto. Lembre, ainda, que toda essa roupa pode restringir um pouco seus movimentos, razão pela qual é sempre bom parar mais, mexer pés e mãos para fazer o sangue circular.

E porque não, tomar um bom "submarino" na companhia da amada, com o grupo ou mesmo sozinho.

O que não dá prá fazer é "se mixar" por causa do frio e passar a andar de carro!

Afinal, andar de moto só é bom em uma época: do dia primeiro de janeiro há 31 de dezembro!

* Hipotermia = aquela coisa de literalmente morrer por causa do frio, que a gente acha que é bobagem e que só acontece com os outros... A hipotermia ocorre quando o corpo abaixa de 35ºC, e pode congelar extremidades ou simplesmente causar parada cardíaca/circulatória. Um dos maiores perigos da hiportemia é que, para proteger órgãos vitais, o corpo manda mais sangue para o mesmo , em detrimento de outras partes de seu corpo, à exemplo das extremidades. Você passa a parar de sentir frio em dado momento, achando que se "acostumou" à temperatura, o que não procede: nessa hora, você está sofrendo de hipotermia severa e seu corpo está caminhando rápido ao colapso. Se você parou de repente de sentir frio, máxima atenção! Você deve procurar abrigo e se aquecer rápido, ou, na melhor das hipóteses, no mínimo poderá perder dedos de pés e mãos.
**http://www.inmet.gov.br/html/clima/sensacao_termica/index.html




Um comentário:

  1. Com a questão da roupa adequada para pilotar no frio eu sempre fui meio relaxado. Uma camiseta normal, uma camisa de flanela por cima, uma jaqueta de nylon, uma ceroula, uma calça jeans, meiões de futebol com meias de lã por cima dos pés já me parecem adequados, e aproveitar para prender a ceroula com os meiões para manter as canelas ainda mais protegidas do vento. Depois é só finalizar com as luvas e botas. Não tenho experiência com aquelas roupas de baixo térmicas usadas pelos montanhistas, mas acho que se dinheiro não for problema vale a pena tentar (não é tão barato assim, mas tem umas que proporcionam bom conforto térmico sem ficar encharcadas de suor).

    ResponderExcluir