RECEBA AS NOVIDADES DO BLOG EM PRIMEIRA MÃO!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Filmes de Moto e Motorcycle movies - nacional e importados

Há tempos venho colecionando alguns filmes de moto... Não confundir com filmes que tenham moto, que são vários, mas filmes em que a moto e os motociclistas façam a diferença, sendo o tema central ou então que apareçam ótimas cenas com motocicletas.

Como é difícil encontrar uma listagem e comentários sobre tais filmes, separo alguns aqui de minha "videoteca" particular.

Fiz alguns comentários sobre cada um deles...
Longe de serem críticas para formar opiniões, pois são apenas minhas impressões sobre cada um, que o leitor do "blog" pode perfeitamente discordar.
Vamos aos filmes! São eles:



- Alma Selvagem, amor por motocicleta
Documentário praticamente independente de Geraldo Tite Simões, o conhecido "Tite" ou Doutor Tite. Apesar de ter por trás a produção da grande desconhecida do público em geral "Bulls Eye Filmes", se fosse um vídeo caseiro ninguém notaria muita diferença mesmo... Enfim, bem ruinzinho. Vi à base de muita cerveja e amendoim. Só assim para aguentar, com o devido respeito ao trabalho principalmente do Tite, mas o documentário dá sono e é muito superficial. Poderia ir mais à fundo na questão do "amor" pelas motocicletas (que prefiro definir como paixão) e se perder menos com entrevistas de motoclubes. Vale, porém, pelo ineditismo do trabalho e, de qualquer forma, tudo que vem a somar ao motociclismo é ponto! (Ano: 2007)

- Angels hard as they come
Mais uma vez a história dos motoqueiros malvados, os Hell Angels. Hard as they come? Tá... Mas e aí? Ainda não entendi direito onde quiseram chegar com este filme. É um relato de que os Hell Angels são malvadões, sempre foram e sempre serão? É apenas mais um filme com a velha e batidíssima história de briga de gangues, desta feita numa cidade fantasma e cheia de areia qualquer dos Estados Unidos onde o diretor resolveu colocar até uns hippies desocupados no meio de toda lambança para apimentar um pouco o enredo, coisa que não foi muito feliz? Quem sobrará no final do filme? Que tipo de filme é esse, aliás? É uma comédia, tragédia, policial ou o que? Se é que se pode chamar de filme. Não recomendo.
(Diretor: Jonathan Demme. Ano: 1971)


- Angels Wild Women
Ruim, ruim e ruim. Mas tão ruim que nem lembro direito o enredo do filme! Provavelmente eu tenho dormido no meio. Não vale nem um centavo, salvo se você é um adorador do gênero "trash movie". Me recuso a colocar a capa do filme aqui! Fala sério, mano!!!



- Akira
"Desenho", ou "animação", como preferirem os entendidos, "Mangá" para os mega-entendidos. Com as devidas limitações da época em que foi criado, logicamente. Embora se trate de um desenho (ok! ok...), digo, mangá com tema futurista, e a "moto" utilizada seja um tanto improvável, vale a pena, principalmente para quem quer descontrair um pouco. Mas não é filminho para ver com as crianças, sobretudo se com menos de uns 12 ou 13 anos. Bastante violento, muito sangue, muito tiro e porrada prá tudo quanto é lado. O interessante é que a história ainda gira na batida dobradinha "caos pós guerra atomica" e "gange de motociclista". Junte no meio uns seres paranormais, no melhor estilo "dragon ball" e outros do gênero, que você vai saber exatamente o que lhe espera. Pelo visto, no meio do caos sempre estão os "malditos" motociclistas. Quanto pior a situação, melhor para a gange de motocas.
(Ano: 1988)


- Beyond the law
Beeeemmmm legal. História de um policial - Charlie Sheen - que se infiltra numa gangue (são sempre as gangues!!!) de motoqueiros, que na verdade não passam de traficantes de drogas e armas. Para se integrar a gangue, o policial se vê obrigado inclusive a cometer alguns crimes junto ao bando. Questiona-se até onde deve ir, por trás da lei... Final esperado, prá variar, como a maioria dos filmes sobre gangues de motoqueiros, onde o bem sempre vence o mal e o policial sempre prende os bandidos. Dizem se tratar de uma história real. Coitado do policial, se assim foi. Depois, o próprio escreveu até um livro. Provavelmente, portanto, filme baseado no livro. Ou vice-versa?
(Diretor: Larry Ferguson. Ano: 1992)



- Biker dreams
O filme, ou documentário, de sonho não tem nada. É praticamente um pesadelo! Quem já viu "Alma selvagem, amor por motocicletas", vai perceber alguma similitude entre os dois. Creio que Tite deve ter assistido a esse... Claro, que perto deste, o "Alma" é uma verdadeira obra prima! O documentário inteiro fica em torno de um "bate e volta" ridículo a um encontro de motos, como se fosse a viagem, ou motoaventura, mais importante do mundo. Com o devido respeito, mas andar numa Harley por estradas perfeitas, dormindo em ótimos motéis de beira de estrada nos Estados Unidos, não me parece - enquanto motociclista e amante do motociclismo de aventura - a coisa mais empolgante para se assistir. Outro documentário que dá sono. E muito... Assisti em duas ou três partes. Até o "falatório" dos vídeos institucionais do Globeriders (vide adiante) são bem mais interessantes. Este é um que não recomendo ter na videoteca, salvo se for para fazer número.


- Chuva negra
Devidamente traduzido, já que lá fora o título é "Black Rain". Um filme policial, com Michael Douglas, e Andy Garcia, o primeiro muito bom no papel de policial e não tanto, mas aceitável, de motociclista. No início do filme, inclusive, parece não ter nenhum sentido esse lado de "jaqueta de couro" do ator, mas ao final, se mostra decisivo para o enredo. As cenas com motocicletas (trails) não são muitas, mas as poucas que aparecem valem à pena. Muito bem filmado e, para quem gosta de filmes policiais, é um prato cheio! Digna de nota a perseguição por campos de arroz, ao final do filme.
(Diretor: Ridley Scott. Ano: 1989)


- Corridas clandestinas
Filme que volta e meia passa tanto no canal aberto quanto na tv à cabo. Cansei de vê-lo. Legal principalmente para os "jáspions" de plantão. A história? Um tal de Kid que fica correndo e fazendo manobras com uma moto esportiva, monta um motoclube - os Biker Boyz - e desafia o "Rei do Cali" para uma corridinha básica. Interessante é que o elenco é composto basicamente por afro-descendentes e latinos. Mas... Precisava ser numa estrada de terra? Com uma esportiva? Fala sério! Nunca vi uma estrada de terra tão lisinha quanto os dois encontram ao final do filme para correr! Esta cena final é um ponto - se não o principal - que estraga um tanto o filme para quem entende alguma coisa de moto. Bom? Ruim? Não sei ainda! Mas vale a pena conferir!
(Ano: 2003)

- Cyclone
Ainda não assisti. Assim que o fizer, posto acerca.

- Diários de motocicleta
Dizem que "Che Guevara" certa feita decidiu viajar de motocicleta pela América do Sul. Pelos relatos, bem se vê que é tudo verdade... Assim como é verdade que a moto utilizada na época já estava caindo aos pedaços e não aguentou o tranco da estrada por mais de 8 meses. Fora que tanto o "Che" quanto seu amigo pilotavam mal pacas! Metade do filme, portanto, sobre a moto. A outra metade, os atores pegam caronas, se deparando com as desigualdades sociais, de onde teria surgido o ímpeto em "Che" para iniciar "sua" revolução, que levou Cuba ao comunismo. O filme vale duplamente a pena de ser assistido, tanto pelo âmbito histórico como, lógico, por conta das ótimas cenas com "La Poderosa" (a moto).
(Diretor: Walter Salles. Ano: 2004)

- Dakar 2009
O rally Dakar 2009, na Argentina e Chile. Ainda bem que veio prá cá, e está bem mais próximo de nós, Brasileiros. Agora é um pulinho assistir ao vivo, diretamente no local! Ver o DVD é um "aquece" para decidir ir ver de perto o Dakar. Ou então participar, para os mais ousados. Claro que o DVD não anima muito. Nada além de narrativas das etapas. Falta um detalhamento melhor, tanto de percurso, quanto das ocorrências na prova. Falta ainda um "making off", para ver onde os competidores param, o que fazem no curto tempo livre entre uma perna e outra da competição, enfim... Não é, e provavelmente nunca será, um DVD "comercial". Vas que vale a pena, isso vale! Principalmente para quem curte a função e a correria geral deste tipo de prova. Vai uma cervejinha gelada aí? (Duke. Ano 2009)


- Dakar 2010
Idem supra, mas a cobertura é do rally em 2010 agora. Melhorou bastante a qualidade da filmagem e o "enredo". O DVD está bem mais "completo" em relação à edição anterior. Ainda assim as "críticas" para aquele são válidas neste. Poderia ser melhor elaborado, com mais conteúdo. Como se trata de cobertura de prova, os produtores não tiveram - ou não quiseram ter - este cuidado. Não espere nenhum filme, portanto. Está mais para documentário, reportagem ou o que o valha. Novamente, contudo, vale a pena de ser assistido por quem curte a função e gosta de ver as motos levantando poeira.
(Duke. Ano 2010)



- Desafiando limites
Burt Munro foi o primeiro homem a quebrar o recorde de velocidade em moto até 1000cc's. E alguns outros recordes também. O interessante é que fez isso em uma velha Indian, devidamente modificada. Interpretado por Anthony Hopkins - que surpreende no papel, para os que estão acostumados a vê-lo no papel de "Haniball" - a história de Burt é uma verdadeira lição de vida. Desistir? Nunca! Retroceder? Jamais! Burt seguiu atrás de seu sonho, apesar de todas as dificuldades, até o final. "Tudo o que eu queria fazer na vida era alguma coisa grande", diz ele. E fez. Um verdadeiro herói em sua época e no meio motociclistico. Filme que não pode ser deixado para trás. Tem de ser assistido, obrigatoriamente!


- Desafio em duas rodas
Já ouviu falar em Evel Knievel? Sabia que o atual "motoqueiro fantasma" teoricamente é ele? Tá que um pouco "modificado" e um tanto mais diabólico, mas ainda assim um Evel Knievel. Ou não? Pois bem... Todo o filme sobre o tal de Evel, que passa a vida fazendo espetáculos de saltos com uma velha Harley modificada. E bebendo umas que outras, entre um show e outro. Dizem que atualmente anda vendendo bugigangas de motos, em um velho trailer, nos encontros de moto. Preste atenção portanto! Vai que você ainda se depara com o maluco em um passeio ou encontro qualquer! Se vale a pena o filme? Relativo... Se não ver, não vai morrer. Pode morrer tranquilo sem ver, se é que você me entende. Nada de excepcional, portanto. Apenas um filmeco a mais.


- Desert Heat
Aqui foi traduzido como "Inferno". É um filme com o "batido" Jean Claude Van Dame, que não deixa de dar seu chute-com-pulinho em uma ou duas cenas de lutinha no melhor estilo "kick boxer". Com as lutinhas de estilo, vale a pena pelas cenas com uma Indian. Van Damme mais uma vez tenta - sem muito êxito - mostrar que é um ator bom. Hein? Ah, tá... Legal também por se passar em meio ao deserto. Para quem gosta de filmes no deserto... Se bem que o filme dá sede, e pede uma boa cervejinha bem gelada, enquanto o Van Dame derrete no calor do "inferno". No mais, o filme deixa bastante a desejar. Mas o motociclista que se preze, em tempos de "folga", entre uma motocada e outra, tenho certeza que vai se divertir bastante com o filme. Assim sendo, recomendo. (Ano 1999)


- Electra Glide in blue
Ainda não assisti. Assim que o fizer, posto acerca. Mas confesso que já estou com medo da bomba...

- Easy Rider
Traduzido no Brasil como "Sem Destino". Esse é um clássico, e nenhum motociclista que se preze pode deixar de vê-lo. Até porque não tem como escapar mesmo. Mais cedo ou mais tarde algum amigo vai lhe emprestar dizendo que o filme é o máximo. Cá entre nós, atire a primeira pedra quem não conhece a música tema do filme e já não cantarolou a mesma num bom "enroleichon" sobre a moto. "Tantchi tarantchi tarannn... Born to be wiiiillllllddddd..."!!! Não que eu ache um filme verdadeiramente bom, mas para a época que foi feito, é aceitável. Digamos que é menos da metade de toda a propaganda que os motoqueiros malvadões fazem sobre o filme. As cenas são boas, as paisagens idem. No melhor estilo "road movie", mostra as argruras de dois motociclistas que só querem chegar a um festival, o "Mardigard". É claro que não chegam, ou o nome do filme seria "Ao Destino", e não "Sem Destino"!
(Ano 1969)

- Freebird
Definitivamente "loucão". Muito doido mesmo! Dizem que é o "Hild Hogs" da Inglaterra, e quem conhece o senso de humor "ácido" dos ingleses, de plano já poderá prever o quanto este filme pode valer a pena. 
Sem entrar em detalhes maiores da história, só o que posso dizer é que lá pelas tantas o trio de motoqueiros falidos e "desocupados"  descobrem uma grande plantação de maconha. Teriam chegado no paraíso ou no inferno? Tudo sempre depende de como você vê a vida, as atitudes que toma... Aí, nem precisa dizer o que vem na sequência. O filme é bem engraçado, com tiradas inteligentes e divertidas.  É preciso porém prestar um pouco de atenção para compreender as "sacadas" e piadas que por vezes podem passar batidas por aqueles que não compreendem o senso de humor (ou falta, diriam alguns), do povo inglês. Quanto as motos? Velharias que ficam um pouco no plano secundário, pois o enredo não se dá só em torno das motos. Mas vale a pena tanto pelas cenas com as motos - que são mais divertidas do que em torno da ação propriamente - como pela história do filme em si.


- Fuga sobre rodas
Primeiro, não confunda com Fúria em Duas Rodas. Uma coisa é uma coisa, outra coisa, outra coisa completamente diferente. E bota completamente nisso... O que posso dizer desse filme? Meio sem começo, meio sem fim. Dois afrodescendentes saem - ou fogem - do "gueto" em busca de uma vida melhor, de realizar um sonho tão próximo e possível e ao mesmo tempo tão distante de sua realidade.  Para nós, sonho que pode até parecer "bobo" e "pequeno", mas no mínimo de pronto nos faz lembrar que cada um tem o seu próprio sonho... A discriminação racial fica evidente durante todo o filme, e cobra seu preço. Embora pudesse ter mais cenas com moto e explorada mais a questão da viagem, vale a pena. Lembra um pouco - ainda que de longe - o filme "Easy Rider". Naquele os motoqueiros são discriminados por serem motoqueiros. Aqui, parecem discriminados simplesmente por serem negros. Não me surpreenderia se descobrisse que o criador da obra tivesse se inspirado no antigo filme.


- Fúria em duas rodas
Típico filmeco de sessão da tarde. O título original é "Torque". Mas já passou tantas vezes por aqui, que o título abrasileirado - e que como sempre, dificilmente tem a ver com o original - já é mais do que conhecido.
História um tanto bobinha, do melhor estilo para ver com as crianças no sofá comendo pipoca e tomando guaraná. Várias cenas ridículas, como perseguições no meio de plantação de palmeiras, bananeira, coqueiros ou seja lá o que for aquilo, com motos esportivas (em trilhas que seria difícil de fazer com uma trail), as quais, como é "normal" nesse tipo de filme, misteriosamente nesta parte ganham pneus "biscoito" e suspensões de fazer inveja em uma moto de cross. Para fechar como chave de ouro, temos as últimas cenas, impagáveis, da perseguição do bandido pelo mocinho em uma MTT Y2K (sim! Ela é real e tem um motor turbo de helicóptero! Mas que ela não faz aquilo, ah... Isso com certeza não faz mas nem com banda de música e o super-homem pilotando a mesma!). Se você não viu, fatalmente ainda vai ver, mesmo que não queira... Salvo se não tem televisão em casa.

- Girl on a motorcycle
Olhei o filme e não entendi muita coisa. Um tipo de "Laranja Mecânica" sobre motos, sem muito sentido. O nome original - ou talvez seja o título alternativo - é bastante sugestivo: "Naked Under Leather". Mas não pense que vai ver um monte de mulher pelada ou mesmo a protagonista do filme porque não vai... Se não me falha a memória, tem pouquíssimas cenas que não chegam a ser mornas. Tenta ter tiradas "sexies", mas não consegue, ou isso se dá por conta do "puritanismo" da época. Se dissessem que a "Girl" da tal motocicleta viajava de moto sob efeito de narcóticos, eu acreditaria. Ou quem sabe seus devaneios seja por estar "naked" por baixo do couro? Muitas cenas que querem utilizar "efeitos" que acabam não dando muito certo. Talvez seja apenas o que era possível fazer com a tecnologia disponível na época, pois, para se ter uma idéia, o filme é de 1968. Até onde recordo, o filme é em preto e branco, ou, no mínimo, se tem essa impressão. nada de "remasterização", pelo menos no que vi, onde o som e a imagem não são das melhores. De qualquer forma, foi um clássico na época, pelo que tem de ser assistido por aqueles que realmente tem veias cinéfilas ou que como eu são fascinados por tudo o que tenha relação com motos.


- Globeriders - R1200GS Adventure Touring Instrucional
Como o próprio título diz, um DVD de instrução. Para quem tem uma BMW R1200GS, principalmente Adventure, é um DVD que não pode deixar de ser assistido, pois traz inúmeras dicas muito úteis.
Muito material sobre manutenção da moto, em especial dicas de como acomodar bagagens, tipos de cases que podem ser utilizados, como trocar um pneu e consertar um furo de forma emergencial, como trocar um filtro de ar e inúmeras outras dicas importantes. Recomendo, com certeza, embora seja um pouco cansativo para ser visto de uma só vez. O ideal é ir vendo aos poucos, gradativamente. O único problema é que lá pelas tantas você já não sabe mais o que viu e o que não viu. A voz de Helge Pedersen - um ícone no meio motociclístico - pode acabar se tornando um tanto cansativa, pois tem um inglês típico de inglês, com o forte e marcado sotaque característico.


- Globeriders - F800GS Adventure Touring Instrucional
Mais um DVD de instrução. Exatamente a mesmíssima cara do anterior, praticamente sem tirar nem por.
Para quem tem uma BMW F800GS com certeza pode se tornar um DVD bem interessante. Mas não soma mais muita coisa, se você já viu o DVD anterior, claro, tirando as dicas referentes às próprias características únicas da BMW F800GS. O básico de manutenção da moto, como a ladainha de troca de filtros e óleo, troca de pastilhas de freio, como arrumar um furo no pneu com câmara da moto... Ao menos você fica sabendo onde está o filtro da moto, e se ainda não sabe, em definitivo aprende de uma vez por todas a trocá-lo. Até parece um certo DVD anterior que você já viu, tipo o supra... Cansa um pouco - os que já não gostaram da voz e sotaque de Helge, agora irão às raias da loucura - e por conta disso, deve ser visto aos poucos. Afinal, são 2 DVDs e com certeza mais de 4 horas ouvindo o cara falar BMW, BMW, BMW... Fala tanto da BMW que se você não tem é melhor nem assistir, pois vai ficar se perguntando porque ainda não tem uma BMW. Sorte que eu já tenho.


- Globeriders - Iceland Adventure
Acho que você já entendeu que os Globeriders é criação de um tal de Helge Pedersen. Mas quem é Helge?
Mais um maluco... O cara era repórter, ou coisa assim, e passou mais de dez anos de sua vida viajando mais de 100.000 milhas (aproximadamente 170.000km) sobre uma moto, escrevendo depois um livro contando suas aventuras. Como isso já faz tempo, foi um pioneiro à sua época, já que atualmente parece que todo mundo tem tempo para rodar durante meses à fio pelo mundo. Com mais idade, criou o Globeriders e vive hoje do que mais gosta, além de que sua empresa (quem vê diz que é uma filial de propaganda da Touratech e da Garmin, entre outras que certamente devem patrociná-lo) leva os "velhinhos" para rodar pelo mundo em aventuras pré-programadas de em torno de 3 meses. Aliás, em 2012 começa a descida de toda a América, começando lá pelo Alaska e indo até Ushuaia!
Ok, ok... Mas e quanto a este DVD? Bom... Neste é a viagem do Helge e de seu sócio (um gordinho nanico e esquisito que vc não entende como fica sobre a GS) pela "Terra do Gelo". Groenlândia? Acho que é isso. Vale a pena ver pelas belas paisagens. Inspira uma viagem mais longa por terras desconhecidas.

- Globeriders - Indochina
São 71 dias e mais de 13.000km, muitos deles por estradas de terra, em meio a ribanceiras e outras localidades onde o melhor seria passar de jegue... Ou numa BMW GS, logicamente! 
Interessante neste filme é acompanhar os dois "indochineses" que seguem juntos na aventura, como guias locais (parece que isso é "obrigatório por lei" para viajantes naquela região, principalmente se em grupos) e numa "custom" xing-ling qualquer!!! Helge e seu amigo gordinho (Chris Poland) costumam fazer sempre os roteiros antes de levarem um grupo, para mapearem o local, colocarem todos os dados devidos no GPS, verificar questão de hospedagem e lugares para visitar antes de venderem o "pacote" para os motoaventureiros de plantão.
Aproximadamente 100 minutos de filme para ser visto no conforto do sofá da sala, com o mapa aberto, para programar a próxima grande viagem!

- Globeriders - Silk Road Adventure
Outro grande DVD que vale muito a pena ser visto. A motoaventura real...
Desta vez Helge e seu parceir Chris seguem conduzindo um grande grupo de 23 pessoas por nada mais do que 8 países, durante 53 dias, na chamada "Rota da Seda", de Istambul até a China.
São 2 DVDs e mais de 4 horas de filme, com excelentes tomadas das estradas mais diversas do caminho!!! Dá vontade de pegar a moto no mesmo instante e só retornar depois de dar a volta ao mundo ao menos umas duas vezes... Filme que considero ideal para ver aos pedaços, regado de uma boa cerveja escura e algum sashimi - já que grilos fritos serão mais difíceis de conseguir  se não embarcar nesta aventura - enquanto os planos de uma nova viagem vão se consolidando.


- Harley Davidson and the Malboro Man


- Harley Davidson - The unofficial history
Documentário acerca da Harley Davidson. Muito ruim, salvo para quem gosta de Harleys. E olhem lá! Vai saber... Talvez eu não tenha gostado por ter um certo ódio de customs... Mas que a narração é algo que lhe mata de sono, isso é. Tenho-o como um filmeco muito bom para quem sofre de insônia. Desculpem... Mas para mim não vale sequer o trabalho de postar a capa.

- Hell Angels 69
De novo e mais uma vez os Hell Angels... Quantos filmes será que existem sobre eles? Nenhuma novidade. Gangue de motoqueiros malvados, infernizando a cidade e lugares por onde passam.
- Hell Rider
Se eu disser que tem a mão do doido do Quentin Tarantino na fita, você já vai saber mais ou menos o que esperar... Sim! Sexo, drogas, rock'n roll  à vontade e de passar o rodo, regado à muita, muita, mas muuuuiiitaaaa violência gratuita, sangue voando prá tudo quanto é lado, corpos caindo aos pacotes., tiros e mais tiros com até umas flechadas (???) pelo meio. Algo que chega à beira do esdrúxulo e inimaginável, se não viesse direto da mente "doentia" de Tarantino. Um gênio ou um louco? E o filme? Genial ou mais um besteirol envolvendo motoqueiros sádicos? Se para Tarantino a vida não vale nada, o que não valerá para uma Gangue de Motoqueiros!!! Sim! São eles de novo! A maldita gangue de motoqueiros para infernizar a cidade mais uma vez. Afinal, motoqueiro não presta... Não é assim? A tentativa do diretor foi fazer um filme complexo, onde no final você descobre que o pai é o filho do... do... Como era mesmo? Ah... Veja lá! Mas não esqueça de tirar as crianças da sala, porque "você quer comer a minha bu....?" é uma das frases mais "lights" ditas pela piranh... Digo, pela mocinha do filme, assim como a cena que se segue. Lástima ou arte pura. E tem moto também. Não poucas. 

- On any sunday
Sinceramente eu esperava coisa bem diferente, pois este filme é mais do que um clássico famoso no meio motociclistico, principalmente estrangeiro. Talvez isso aconteça simplesmente por estar esperando demais.
Ou talvez isso se dê por conta de eu não ter visto o mesmo como deveria, com "olhos de passado" vivendo no futuro. É filme, porém, que você não pode deixar de ver, justamente por ser um clássico. Retrata as motos e os motoqueiros no tempo em que ser chamado de motoqueiro não era ofensa (ninguém berrava que era motociclista e não motoqueiro!), e que as motos eram simplesmente motos, e não um monte de tecnologia embarcada sob nomes de ABS, ESA, ESC e um monte de três letrinhas. Nada! Eram ligadas à pedaladas, com motores geralmente de dois tempos, leves, e com pilotos completamente desajuizados, que cruzavam areias de deserto com cabo enrolado, como se disso dependesse sua vida... E justo por conta disto eram tidos como heróis pelo público que se empilhava nos barrancos à beira da estrada para ver o bando de doido passar. Em qualquer domingo desses... Você tem de assistir! Não é uma escolha. É um clássico. Obrigatório para o motoqueiro (ou motociclista, se você insiste ou se ofende com outra denominação) que se preze. Só a partir daí você poderá dizer se é bom ou não. Gira em torno das corridas de moto, de mil novecentos e antigamente. Vários ícones do motociclismo da época, com destaque para Steve McQueen, que era um piloto inveterado, para desespero de seus diretores do período em que era o galazão do cinema.

- I bought a vampire motorcycle
Terrível. Eu não sabia se ria ou se chorava! Tão ruim que vale a pena ser visto. Típico "trash movie", daqueles que ficam devendo estrelas e podem concorrer ao prêmio de pior filme de terror do ano, da década ou mesmo do século... O filme se baseia na historieta de um cara que compra uma Royal Enfield e a moto é "amaldiçoada". Sei lá! Parece que a alma de um morto, ex-presidiário ou conde da Transilvânia, vá saber!!! O certo é que pelo que entendi do filme antes de cair no sono, o "capeta" habita o metal da motoca, que passa a perseguir seus desafetos, sugando-lhes o sangue, que é seu combustível principal para varar as noites atrás de mais e mais sangue. Um lixo, e por isso mesmo muito legal para ver regado a uma boa cerveja, pois só bêbado para aguentar esse troço. E aí no fim é aquela velha história: quando você acha que tudo resta resolvido... Eu não sei se me fiz entender. Seguinte, vamos colocar desta forma: o filme é tão ruim que não tem como não ver!!!

- Long way round
Lembra de Guerra nas Estrelas e dos Jedy? Então você sabe e já conhece de longa data Ewan Mc Gregor!
 Aqui ele não está de estrelinha de Hollywood. Quem o visse na estrada, saberia que é só mais um maluco andando de moto pelo mundo. Aliás, durante o trajeto, são poucos que o reconhecem! Por conta já disso que o filme vale a pena. Dizem que o Box (são 3 DVDs na caixa) inspirou a viagem de muita gente. Conheço no mínimo um maluco que comprou uma BMW depois que lhe enviei um Box deste e da seqüência (Long Way Down)!
A parte da viagem pela "Estrada dos Ossos" é impagável. É claro que no filme os atores - Ops! Motociclistas!!! - fazem a coisa mais difícil do que realmente é. Bem... Será? Quando for prá lá lhes conto!
Tem algumas cenas "armadas" (como uma de uma caixa caindo durante a travessia de um rio a qual, para espanto de todos, era justamente a que não tinha muita coisa importante dentro e/ou que não pudesse molhar...), mas em geral é bem realístico, e mostra as argruras do grupo na viagem. Claro que, com carro de apoio (e são dois!) a coisa fica beemmmm mais fácil! Queria ver fazerem as duas motos (na verdade são três...) sem os carros de apoio!

- Long way down
Quase tão bom quanto Long Way Round. Ainda que eu prefira o Round, este, Down, não fica lá muito atrás. Aposta novamente na dupla Ewan e Charley. Você acaba tendo a certeza que Charley é bem mais engraçado - e mais carismático - do que Ewan, embora bem menos famoso (e talvez justo por isso se esforce tanto!).
Agora a dupla desce todo continente africano. Daí você já pode tirar uma idéia do que esperar. Segue na versão de duas motos (mais a do cinegrafista que os acompanha, que é figura ímpar à parte), dois carros de apoio que geralmente não vão junto das motos (ou ao menos é o que fazem parecer...), e aquele abarrotamento clássico de bagagem tanto nos carros quanto nas motos. Deve ter equipamento ali para montar outra moto se bobear!!! Uma briguinha aqui e outra ali da dupla para "apimentar" a amizade, a mulher do Ewan que resolve seguir uma parte do trecho junto (a pior coisa que a mesma podia fazer!) e aí o filme fica ainda mais morno e a velha surpresinha da família no final em meio a um discurso de "nossa como foi difícil essa viagem e como eu sofri!!!" o que não deixa de emocionar. Bem equilibrado! Muita moto, algumas quedas, trechos de areia, boas dificuldades para enfrentar os obstáculos da estrada. 
Ao final, você fica com vontade de fazer uma viagem de moto pela África também. Ou seja, o filme vale cada centavo investido!

- Mad Max I
Mad Max... Já diz tudo. O louco do Max. O I é como tudo começa, porque o cara acaba "enlouquecendo" e com a mania de querer matar sem dó todo mundo que não presta.
Mel Gibson bem novinho, quando nem era conhecido e tampouco os outros artistas do filme que deu início à "série" sendo o mais famoso com a Tina Turner, "Mad Max - Além da Cúpula do Trovão" este último sim um clássico, ao contrário de Mad Max I que pouca gente viu. Aliás, eu nem sabia que tinha tanta história com moto em Mad Max I, sendo que foi só por conta de ver a capa original do filme - onde aparecem várias "magrelas" - que resolvi adquirir o mesmo. Caso contrário, certamente seria mais um que passaria batido. 
Segue na velha máxima de acabar com o grupelho que não presta: como sempre, a gangue de motoqueiros malvados que aterroriza as cidades por onde passam e que, portanto, devem morrer. Como não poderia ser diferente, é lógico! Ainda estou tentando concluir se vale a pena o investimento ou não. Para mim que gosto de todo filme onde tenha moto, sim. Para muitos, certamente não.

- Me and Will
Duas mulheres - cuja sexualidade nem vou discutir porque não cabe aqui - andando juntas de moto, indo em direção não sei bem prá onde. Parece que moto é solução para muita gente. O filme é bem pobrezinho. Vale a pena para quem quer ver alguma coisa diferente dos padrões gangue de motociclistas malvados. Final previsível - ou nem tanto - que consegue fazer você lembrar do filme depois que desliga o DVD. Quase um "Thelma and Louise" na versão "Easy Rider".  um cara que não presta metido no meio da relação de amizade das duas, onde não deveria estar. Vítima também ou o principal causador de tantos estragos? Mais um daqueles filmes para se ver quando não se tem muita coisa para fazer, entre uma viagem de moto e outra.
Ao final fica claro que o autor, diretor ou roteirista tentou fazer simplesmente uma mesclagem de Thelma e Louise regado a um tanto de Easy Rider. Um típico "Road Movie", no melhor estilo estadunidense.
- Missionary Man
Missionary. De missionário mesmo... Padre? Não. De padre o cara não tem absolutamente nada, ainda mais se você considerar que o doido carrega uma doze cano cerrado no guidom da moto. Mais um daqueles filmes que comprei mais por conta da capa trazendo uma ou mais motos do que pelo enredo em si, pois é mais um dos cansativos que batem novamente na velha história do justiceiro de plantão que salva a cidade, sozinho pondo fim em toda uma gangue de motoqueiros. malvados que, como sempre, não são boa gente. Afinal, você já sabe: motoqueiros não prestam, e prestam menos ainda quando andam em bando. Aí é o caos! E só outro motoqueiro para entender a cabeça da gangue e por fim na mesma antes tarde do que nunca. E o herói como sempre, é bom pacas. Tanto de mira quanto de briga. Espere muito sangue e violência gratuita, com cenas de tudo que é tipo e duração nesse sentido. Ao final do filme você fica pensando se não deve abandonar seu motoclube e passar a andar de moto sozinho. Aí ao menos o tal de "Missionary Man" não vai vir lhe pegar...

- Motorcycles Zombies from hell
Mais um daqueles filmes para você dizer: meu deus! Que raios de filme é esse!Relutei muito para ver este filme, e ficou selado no mínimo uns bons de 2 anos antes que eu resolvesse tirá-lo do invólucro e ir assistindo aos poucos no intervalo do almoço, entre uma mordida do sanduíche e outra, o que quase me causa uma indigestão...
Cara! Fala sério!!! Os Zumbis andam de moto e ainda propõe um competição entre zumbis e humanos! Se perderem serão comidos (o cérebro, lógico) pelos zumbis, mas se ganharem, os zumbis deixam os mocinhos partirem ou vão embora da cidade? Báh! Nem me lembro mais... Pois, PQP!!! Quem raios poderia pensar num roteiro assim? E ainda uma competição de motocross!? Ah, isso é demais!!! Não me bastava um chipanzé competindo no motocross em "MotoX Kids" (vide infra) e agora mais essa!? Vá lá! Assista você também... Porque eu confesso que até hoje não entendi porque não deixei o filme fechado...


- Motoqueiro fantasma
Um clássico das histórias em quadrinhos, transportado para o cinema. Mais um filme inspirado nos gibis e heróis da Marvel. Como disse anteriormente, o herói lembra um pouco do Evel Knievel. Sou suspeito para falar, pois a maioria dos filmes que relatam os gibis em questão caem no meu gosto. O filme vai na velha dobradinha do pacto com o "cramulhão", meio que sem querer querendo, e a tentativa do mal assumir o domínio do mundo terreno, só para variar um pouquinho. No meio disso tudo, um motoqueiro no melhor estilo caveira e uma moto que é o diabo! Ou seria uma moto diabólica? Menos mal que é uma chopper, e não uma Harley. Um filme recheado de efeitos especiais, capetas e foguinho prá tudo quanto é lado. O final? Bom... Você sabe! O bem sempre acaba vencendo.

- Motoqueiro fantasma 2 - O espítito da vingança
Ganhou até versão 3D no cinema...
Se antes o "caveirinha flamejante" só aparecia durante a noite,  nove anos depois está muito mais presente no dia-a-dia dos bandidos malvados. Não tem prá ninguém! É faca na caveria!
O nosso velho clássico das histórias em quadrinhos em versão melhorada, ainda que eu não entenda porque ele vai montado numa V-Max, como se não bastasse a Harley "Chopper" da versão anterior. Com a devida desculpa que peço aos adoradores de Harleys e V-Max, na minha concepção o caveria tem um gosto terrível para motos!!!
Quanto ao enredo, a velha xurumela de sempre da briga interminável contra o capeta, que agora quer fazer morada em um garoto de 10 anos. Claro que o caveirinha não pode deixar barato pro cramunhão... Mas.... Com tanto foguinho e cenas envolvendo moto, quem se importa com o roteiro? Filme do estilo "sessão da tarde", mas que vale a pena ser visto. 



- Mondo Enduro
Considero este "documentário" o pai (e a mãe...) do Long Way Round., Long Way Down e qualquer outra sequência que queira o Ewan e Charley criar.  Claro que no caso do Mondo Enduro, a produção é praticamente amadora, pelo que o mérito "cinematográfico" dos artistas é mínimo e o filme não é conhecido, salvo por aqueles que curtem motoaventura e olhem lá! Os "artistas" deste utilizam da mais apurada técnica... Hummmm... Tá bom! Vamos falar a verdade! Usam velhas câmeras de filmagem, algumas "shot cams" fuleiras e tomadas bem pobrinhas. Roteiro? O que é isso? Até agora estou tentando entender de onde partiram e para onde estavam indo. Algo pelos arredores da Rússia é por onde passaram. Os acampamentos dos cabras é de deixar de cabelo em pé qualquer campista de plantão. Você fica se perguntando como é que eles sobreviveram. As motos? Mais caindo aos pedaços impossível... Acho que eram algo em torno de Hondas XLX 350 R. Ou seria Yamahas??? Bom... Certo que oriundas de mil novecentos e você recém tinha nascido. Vale a pena conferir para resgatar o verdadeiro espírito da motoaventura e para você parar de dar a desculpa de que não tem a moto ideal para empreender uma grande viagem e por conta "só" disso é que não tira a bunda do sofá.


- Moto X Kids
Você vai achar que estão de sacanagem com você... Por baixo, posso dizer que um chipanzé é a principal estrela do filme, que gira em torno de uma competição de motocross. Os "kids" propriamente tem papel quase que secundário haja vista a brilhante atuação do macaco. O que mais precisaria ser dito depois disso? As cenas do símio andando de moto são tão ridículas que chegam a ser engraçadas, pois fatalmente se vê que não se trata de macaco, e sim de criança sobre pequena moto de cross nas tomadas de ação na pista de competição. Mais um típico filme do estilo sessão da tarde. Se não tiver mais nada para fazer e os pequenos quiserem assistir um filme com você, recomendaria este sem dúvida, com bastante pipoca e guaraná (mas nada de "Dolly" ou "Fruki", por favor!)! Mas não vá "entregar" o jogo dizendo que não é o macaco que está andando de moto, hein? Até porque muito provavelmente seus pimpolhos, do jeito que andam espertas ultimamente, vão perceber isso bem antes de você.


- Motorcycle Gang
Com um nome destes, é preciso dizer mais? Mais um filmeco da década de 90 (1994), mas que parece bem mais antigo, pelo batido do roteiro que fez sucesso na época da brilhantina e das calças boca de sino. Típico roteiro de "matinê", sem sal e sem açúcar. A história? Adivinha!!! Ganha uma pipoca se acertar! Mas uma só, hein? Não descobriu ainda? Então prepare-se... Sinopse: gangue de motociclistas infernizando cidade, blá, blá, blá. Absolutamente nenhuma novidade ou cometário digno de nota. É ver por ver. Mais um daqueles filmes que eu só adquiri por ser um cinéfilo no que diz respeito a motos. Acho que na verdade só comprei este por conta do título e das motinhos abaixo, na capa do filme, onde nem a mocinha tem atuação decente. O herói, então, está mais para "Chapolim Colorado" do que para outra coisa. Depois de ver esse, você vai ficar com a velha impressão de sempre: já viu esse filme no mínimo uma dezena de vezes! Mas calma! Esse é outro, embora igual a todos aqueles outros que tratam de "gangue de motociclistas infernizando uma cidade"...

- Northville Cemetery Massacre
Ainda não tive oportunidade de assistir e continua lacrado na estante da sala. Mas me dá arrepios só de pensar em ver essa provável bomba... Quando ver o filme, posto comentário.



- Os cavaleiros da noite
Meu Deus! O que é isso? Tá certo que a gente gosta de filmes onde tenha motos, mas aí já é demais!!! Filme completamente "non sense". O personagem principal jura que é um cavaleiro medieval, que sua moto é um cavalo e que está na Távola Redonda. Certamente tem problemas mentais (leia-se esquisofrenia ou algo do gênero)... Acho, inclusive, que esta foi a idéia na elaboração do filme. Ou não... Dirigindo um espetáculo com motos - no lugar de cavalos - e cavaleiros medievais devidamente trajados com um monte de latas sobre o corpo (vestimenta capaz de causar risos no espectador), o coitado do "rei" vai de mal a pior durante praticamente todo o filme. Você fica esperando que ele se dê bem, mas que nada!!! Só toma na cabeça à torto e à direito. Quem manda ser tão doido assim? Pior é que parece ter o apoio da sua "rainha", que está mais para "Amélia" (aquela "...que era mulher de verdade e achava engraçado não ter o que comer") do que para outra coisa. Não surpreende o final. Agora... Porque traduzido como "cavaleiros da noite" é uma verdadeira incógnita, quando o original é "The Black Knights" (Os cavaleiros negros).


- Os demônios sobre rodas
Pasme!!! Jack Nicholson não fez sempre papéis marcantes... Quem viu o astro em filmes mais "recentes" como "O iluminado" (1980), "Melhor impossível" (1997) ou "Antes de partir" (2007), vai achar a atuação dele neste filme "Demônios sobre Rodas" (1967) mais fraca do que no histórico "Easy Rider" (1969), onde não tenho muitas dúvidas que em certos momentos os atores efetivamente consumiam a "ervinha do diabo" (que lembra da clássica cena de Easy Rider da trupe em roda da fogueira, vai saber do que estou falando...).
A velha histórinha do pós-guerra, do americano trabalhador que se revolta com seu dia-a-dia e seu trabalho e acaba se unindo a uma gangue de motociclistas malvados.
Para piorar tudo, ainda se apaixona por uma biscateira, digo, mocinha que é de "propriedade" do manda-chuva do grupo. A consequência disso não poderia ser outra que não porrada em cima de porrada, azucrinação de cidades, enfim, aquela velha e já irritante história de "gangue de motociclistas infernizando uma cidade". Nada de novo, portanto.    

- O selvagem da motocicleta
O título original é "Rumble Fish", que condiz muito mais com o filme do que o título abrasileirado, o que não é raro de observar. A propósito, não sei quem faz as traduções de títulos que se vêem nos filmes que vem para o Brasil. Normalmente não condizem com o título original. Pouquíssimas cenas com motocicleta. Lembro apenas de duas. O título original "Rumble Fish" provém do nome de um tipo de "peixe-de-briga" que não se dá bem em comunidade. Quem quer ver os atores Mickey Rourke e Matt Dillon com cabelo e cara de guri, pode ir locando ou comprando esta pérola. Não é raro de encontrar nas boas locadoras e livrarias. Uma sinopse? Motoqueiro malvado, briga de gangues, irmão mais novo metido  à besta e em confusão, sendo sempre salvo pelo outro na hora fatídica, etc., etc...Só para você saber, o "selvagem" ou o "Rumble Fish" é o Mickey Rourke, ok? Ou pelo menos eu achei que fosse isso... Veja lá, e tire suas próprias conclusões.
(Diretor: Francis Ford Copolla. Ano: 1983)

OZ - Around Australia on a Triumph
Novíssimo, lançado em 2012. Conta a história ou a aventura - como queira - de Geoff Hill e Colin O'Caroll dando uma volta na Australia em duas Triumphs Tiger. Acho que assisti antes de qualquer outro brasileiro para poder passar a informação em primeira mão. Adquiri o mesmo em seu pré-lançamento, e Geoff até me mandou uma dedicatória. Chique, não? Então desde já me desculpe Geoff!!!
O certo é que eu esperava bem, mas beeeemmmm mais. Na capa do DVD fala que faz Charley e Ewan em seus filmes/documentários "Long Way Round" e "Long Way Down" parecerem dois comediantes. Mas quer saber? Sou muito mais "Long Way Round" e "Long Way Down", filmes aliás que já vi mais de 10 vezes cada! O problema principal de "OZ" é o excesso de papo furado.  Muito papo furado... Perdem vários minutos simplesmente visitando um museu de motos antigas. As cenas em geral parecem feitas de câmeras amadoras, extremamente desfocadas e tremidas, mesmo as "estáticas", onde nem a questão da luz é observada. Aquelas em que as motos são filmadas andando, então, são simplesmente terríveis. Você tem a nítida impressão que até com uma "Go Pro" da vida, sozinho, você pode fazer bem melhor do que o que lhe apresentam em  1h10minutos aproximadamente de filme. Mas vá lá! Geoff está mais para escritor do que para cinegrafista, então há que se perdoar a falha. O bom de ver o filme é que você conclui que você tem plenas e totais condições de editar um DVD também. Porque não? Um comprador você já tem, pois como viu, eu adquiro de tudo que se relaciona à moto. E acredito que deve existir nesse mundão mais gente como eu...

- Phileas Foggy's - New Zealand Adventure
Não consegui ver até o fim... Um dia, quem sabe, quando estiver com muita paciência e mais nada para fazer. Uma viagem qualquer do tal Phileas (é um corredor de SBK??? Realmente ainda não tive oportunidade de pesquisar, mas deve ser um cara muito importante, ao menos lá fora...) e sua esposa pela Nova Zelândia. E só. Talvez alguém venha a gostar, mas particularmente tenho que não vale o investimento. Uma viagemzinha muito preparada, com pouca bagagem, poucas cenas que valham à pena de estrada, parece mais um passeio de carro de tão "tranquila" que é. Dá sono!!! Outro problema é que o filme se foca muito no tal Phileas, que sinceramente, me pareceu uma "besta", até mesmo pela forma completamente "seca" pela qual tratava a esposa. Ou quem sabe eu que não tenha entendido direito e a mulher nada mais é do que irmã dele? Vá saber!!! Talvez por conta disso também eu tenha me "influenciado negativamente" e não gostado do filme, por não suportar o jeito de ser metido a besta do Phileas. Sei lá! Concluo que tenho de aprender mais ainda a aceitar mais as pessoas como elas são... Mas que eu não daria meus troquinhos novamente para o Phileas, ah!, isso não faria mesmo!!! Só tem valor para ter na videoteca de filmes de moto. Mas não o coloque e nem empreste para amigo seu ver, a fim de não passar vergonha.

- Psychomania
Igualmente é outro que ainda não tive oportunidade de assistir e continua lacrado na estante da sala. É daqueles que você de cara, mesmo sem tirar o lacre, já não tem muita vontade de ver... Sabe aquela coisa de sexto sentido, que lhe diz que o filme é uma nhaca? Pois é! Mas não vamos nos precipitar!!! Quando ver o filme, posto comentário.

- Race to Dakar
Lembra do Charley Boorman (aliás, meu amigão no facebook!), de Long Way Round e Long Way Down? Então... Se você comprou o "Box" de Long Way, este vem junto. Quem viu já sabe que a técnica do cara em cima de uma moto está à milhas de distância do Ewan. É fato: Charley é muito melhor piloto, sobretudo no que tange a dominar as técnicas do off road. Por conta disso, resolveu encarar o Rally Paris Dakar. E o grande problema é que o cara se acidenta já nas primeiras baterias, quebrando ambos punhos. Fim de corrida para Charley, e segue a "fita" com o treinador dele correndo o restante do rally. Pronto! Acaba de perder a graça todo DVD! Talvez fosse o caso de editarem melhor até o acidente do Charley e passar o resto em não mais do que 5 minutos, breves tomadas, sei lá! Fica parecendo que o protagonista principal do filme não é mais nem o Charley, como deveria, e sim seu treinador. Ponto para o Charley pela "humanidade" e "humildade" que demonstra, deixando o treinador "brilhar" em seu lugar. Charley é um cara que admiro... Mas o DVD... Bom! Compra lá! Os caras revertem toda a grana para UNICEF, e só por isso já vale a pena gastar uns tostões para adquirir o DVD. Ah!!! E tem moooootooooo prá caramba, que é o que nos interessa!

- Rebel rousers
Opá! Mas Jack Nicholson de novo? Aí você fica se perguntando se este não é o mesmo filme daquele outro lá em cima, o Hell Angels on Wheels ou Demônios sobre rodas. E sabe que eu já não sei? Apesar de ter visto os dois, não consigo mais ver muita diferença entre ambos (se é que não são o mesmo filme!), porque batem na velha e já chata questão dos motoqueiros malvados infernizando uma cidade pequena, brigando por conta da "mocinha" (hoje em dia teria outro nome, como biscateira, periguete ou o que o valha), andando de moto prá lá e prá cá sem muito destino certo (mas não chegando a ser um Easy Rider da vida), e outros "atrativos" que fazem com que o DVD não seja nenhuma novidade em termos de enredo. Olha... A única coisa que eu sei a essas alturas é que pelo menos a capa do filme é diferente, e do cara com as calças listradas (deve ter saído direto do presídio!) eu definitivamente não me lembro do filme anterior. Se vale a pena ser visto? O que você acha???


- Ride with the wind
Historieta de mais um motoqueiro bebum, ex-atual-competidor, que vê a carreira indo por àgua abaixo, culpa da "mardita". É um filme que convence bastante, sendo até emocionante para aqueles que vão mais facilmente às lágrimas, o que não é nosso caso, motoqueiros malvados... Com um final bastante esperado, depois de alguma "moral de cueca", logicamente, que não fede e nem cheira. O filme poderia ser melhor explorado. Lá pelas tantas, você tem a impressão que o filme não vai é terminar nunca!!! As cenas de ação são até que boas,  mostrando competições ao estilo "antigo", quando as primeiras Harleys corriam em pistas circulares de terra batida. Takes emocionantes, portanto? Não... E, ao final das contas, não chega a ser um filme ruim, mas longe de ser bom. Aliás, vamos ser sinceros à estas alturas do campeonato! É difícil e dá para contar nos dedos de uma só mão os filmes envolvendo motos que são efetivamente bons! Mas como o que nos interessa não é muito o roteiro dos filmes e sim as motos... Diria que é um filme que deve se ter na videoteca especializada!!!

- Ride like the wind
O título é muito parecido com o do filme anterior, certo? Mas não tem absolutamente NADA a ver com o filme anterior! E acho que nem dá muito para chamar este de filme... Creio que é mais uma propaganda de época da Yamaha do que qualquer outra coisa. Para quem tem ou simplesmente gosta muito (e tem de gostar muitooooo mesmo!) das Super Ténéré antigas (belas motos e confiáveis, não se pode negar!), um verdadeiro prato cheio. Achei um pouco cansativo, mas não descartaria tão facilmente da videoteca e nem deixaria de recomendar a compra. Mas e se eu não o tivesse? O compraria? Sinceramente não sei... Um rally qualquer, com muitas cenas "perdidas", sobretudo nas tomadas das paisagens, que de tão estáticas parecem fotos, e uma musiquinha irritante de fundo. Não surpreende e as paisagens, de modo geral, não tem nada de muito especial. O que mais se ouve, à exaustão, é "the iamará, iamará, iamará...". E "iamará", lógico. Não tem começo, meio ou fim. Não me pergunte porquê do título, pois até hoje estou tentando descobrir.

- Road Heroes
Greg Frazier, Tiffany Coates, Peter & Kay Forwood e Rene Cormier são os protagonistas deste DVD. que pode ser encarado como um documentário. Talvez o grande problema do DVD seja justamente a capa. Você olha e espera uma coisa completamente diferente do que realmente a "película" lhe traz. Quilômetros e mais quilômetros de aventuras e viagens, regados às mais belas paisagens, certo? De certa forma sim, mas em grande parte - ou na totalidade - absolutamente não!!! Porque? Porque tudo é mostrado apenas em centenas de milhares de fotos, durante uma palestra e mais nada além disso! É! É isso mesmo que você entendeu! Uma palestra, onde os caras ficam falando e mostrando "power points" para uma platéia de "mudos", sem interação nenhuma, que lá pelas tantas lhe dá muito sono!!! Se colocassem a capa que o filme, digo, documentário mereceria, certamente não haveriam tantos compradores. Sei lá. Acho que o tema poderia ser muito melhor explorado!!! Claro que sempre dá para aprender algumas coisa.

- Ruas de fogo
O problema é que quando você olha a capa do filme, já vai esperando algo no estilo "Sin City", aquela coisa cheia de violência, com cenas chocantes, que prendem o telespectador. Mas o que acontece quando os criadores dos filmes estilo "sessão da tarde" resolvem fazer um filme com nosso conhecido roteiro de "gangue de motoqueiros malvados infernizando a cidade" e um herói no melhor estilo garoto-malvado-que-retorna-a-cidade-de-origem-depois-de-sumido? Acontece  nada mais do que exatamente esse filme. Cansa. E muito até! Mas pode ser visto com pipoca e guaraná. Só não digo junto as crianças com menos de 10 anos porque tem muito tiroteio "barato" e neguinho morrendo a troco de nada ou coisa nenhuma. Quase uma violência gratuíta! Até hoje eu só entendi que estavam brigando por conta da "mocinha", que, convenhamos, nem vale a pena para quem não curte brilhantina. Dá prá ver o filme ainda numa madrugada insone, já que a probabilidade do sono chegar vai ser bem grande lá pela metade do dvd.

- Run angel, run
Mais um daqueles que ainda não tive oportunidade de assistir e continua lacrado na estante da sala. Quando ver o filme, posto comentário.

- She devils on wheels
Mesma coisa. Mais um daqueles que ainda não tive oportunidade de assistir e continua lacrado na estante da sala. Quando ver o filme, posto comentário.
- Supercross
Outro dos filmes no estilo "sessão da tarde", onde o carinha vai para uma competição de supercross e lógico, que depois de dar alguns "socos em ponta de faca" acaba ganhando com louvor o campeonato mundial. Você esperava o quê? Pode ver junto com os filhos sem nenhum receio. Chega a ser um tanto engraçado, para não dizer boboca. Não há cenas violentas, nem cenas de sexo (ou qualquer coisa que lembre isso), nem brigas mais sérias e nem nada do tipo. Bem bobinho mesmo, dá para perder um par de horas - se o tempo estiver sobrando - numa tarde chuvosa de sábado em que não se está a fim de motocar e sim ficar junto aos pimpolhos e a esposa. É um filme para ver em família mesmo! Pipoca e guaraná são itens fundamentais para assistir a esse filme. Não vale a pena pegar uma cerveja.

- Superbike moto scholl
Você lê o título e a sinopse, olha a capa e de cara acredita piamente que vai aprender algo acerca de condução de motos esportivas em pista, certo? Um pouco até vai. Mas a grande verdade é que será beeemmm pouco mesmo! Ainda não cheguei a conclusão se vale o investimento. Algumas poucas técnicas são apresentadas, para uma turminha de pretensos aspirantes a pilotos de final de semana, que se acham os verdadeiros Valentinos Rossis. Se é da turma dos "jaspions", quando a galera não quiser sair para queimar uma borracha, o tempo estiver ruim ou simplesmente não tiver nada para fazer mesmo, vá lá e veja o filme. Perder nada não vai de qualquer forma, fora o dinheiro do DVD que você poderia investir em mais um equipamento para sua motoca de final de semana onde você jura que arrepia nas curvas da serra ainda mais depois que aprendeu a ralar as saboneteiras... Só não tente imitar depois o que o treinador recomenda, principalmente se conduzir em estradas, pois lá pelas tantas o malako toma um tombão que dá gosto de ver. imagina isso com uma árvore pela frente (em tempo, um racado aos "jáspions": deixe de ser idiota e vá correr na pista, onde realmente você pode provar que é bom!)


- Stunts gone wild
Quedas, quedas e mais quedas... Para quem curte ver manés fazendo "heeling" e se dando mal, um prato cheio! Tudo o que você NÃO deve fazer sobre uma moto. Cuidado! Cenas de mulheres ("biker chicks") com seios à mostra, em tomadas completamente "non sense" e fora do contexto e da proposta do filme. Mas não passa muito disso. Mais para o engraçado (ou de mau gosto) do que para o erótico ou coisa do gênero. Se é que o filme tem alguma proposta, que não mera "avacalhação". Não veja perto dos pequenos, se são muito pequenos. Em qualquer encontro de moto, em algum canto, esse filme estará rolando. Pirateado, lógico, pois provavelmente é um dos DVDs de moto mais pirateados no Brasil ou quiçá do mundo... Onde hover encontro, estará lá o piratão à venda, o filminho rolando em alguma TV e a "gurizada medonha" da zoeira e dos estourinhos em roda assistindo, comentando sobre a manobra ou a galinha do filme...


- Satans sadists
Outro daqueles filmes fuleiros que não é bom ver junto às crianças. Motoqueiros malvados, ou melhor gangue de motoqueiros, malvados infernizando a cidade (só para não perder o hábito) fazendo arruaça e matando meia-dúzia de praticamente todo mundo pelo caminho, estuprando mulheres, bastante violência gratuita e sem sentido algum, deixando a certeza que tudo quanto é motoqueiro não presta para nada além de fazer sabão (e sabão da pior qualidade, é óbvio!) E claro, já vou adiantando, no final não sobra um para contar a história. Ou será que sobra o mocinho? Aliás, tem herói nesse filme??? Outro dvd bom para ver à base de muita cerveja e amendoim, e ter mais uma vez a certeza de que todos motoqueiros - principalmente os que fazem parte de gangues, atuais motoclubes - não prestam mesmo... Fala sério!

- Stone
Mais um daqueles que ainda não tive oportunidade de assistir e continua lacrado na estante da sala. Quando ver o filme, posto comentário.

- The MSF Dirt bike school
É um DVD "instrucional" um tanto melhor do que o Super Bike School  acima, e que ensina algumas técnicas que podem realmente ser aplicadas com bastante sucesso em "dirt bikes", ou motos de trilha. Você não vai sair um expert, mas dá para tirar boas lições básicas do DVD, até mesmo para serem utilizadas no dia-a-dia, dentro da cidade, se você costuma andar de trails como XRE, Lander e outras leves. Para quem não sabe nada ou quase nada sobre como andar na terra, dar pequenos saltos, etc., pode ser uma boa pedida sendo até bastante recomendável. O certo é que não custa absolutamente nada assistir. Sempre se aprende alguma coisa! O custo de tudo é só o preço de importar o DVD, pois no Brasil não vai achar em nenhum lugar, como sempre! Talvez em uma boa loja que venda artigos de motos para cross e trilhas, mas em geral nem adianta insistir, porque não terão. Se tiverem, vão lhe cobrar os olhos da cara e mais uns trocados. Lembra! É importado...

- The last rider
Quem na infância via sessão da tarde ou o seriado que vinha um pouco depois (ou era antes?), vai lembrar de Erik Estrada! Sim! É o italiano, jamaicano, fijiano ou seja lá que linhagem tem o cara! Um latino, enfim, que atualmente caiu no completo esquecimento e está velho. Procura na internet que você vai achar ele. O certo é que filme não está mais fazendo. Quando estrelou este, já estava um tanto velho, pelo que sua atuação - assim como o próprio filme - é bastante sofrida. Não tem lá muita história, e tudo parece que se passa em meia dúzia de quilômetros. Não tem muitaaaasss cenas de moto, e as que existem, não empolgam. Bate naquilo que a gente já sabe: gangue de motoqueiros malvados infernizando a cidade. E um mocinho - lógico que é o Erik Estrada! - para resolver tudo sozinho e para ficar com a mocinha, que morre de amores por ele. Deve se lembrar do Chips. Vá saber!  

- The Doctor, the Tornado and the Kentucky Kid
Acreditam que ainda não vi? Sim! É mais um daqueles que ainda não tive oportunidade de assistir e continua lacrado na estante da sala. Quando ver o filme, posto comentário. Mas o título já diz tudo que é sobre o Valentino Rossi e seus companheiros de competição.

- The Windsplitter
Ainda não assisti. Assim que o fizer, posto impressões aqui.


- Time Rider
Ainda não assisti. Quando o fizer, posto as impressões aqui.


- Werewolves on Wheels
É isso mesmo que você entendeu... Lobisomens sobre rodas. Putz...  Tão de piada! Não poderia ser pior, embora seja até engraçado ver o tal "lobisomem" andando de moto.Tudo em torno de um ritual satânico qualquer (e você fica pensando então que o lobisomem é cria do "coisa ruim") e ainda assim, depois dessa "pérola", batendo no "bom" (???) e velho estilo e roteiro da "gangue de motociclistas nunca prestam" infernizando uma cidade pequena. Filme difícil de encontrar. Somente importando e mesmo assim olhem lá! Tem que garimpar bastante, e talvez pagar até mais do que efetivamente vale. Então a pergunta que não quer calar é: vale o investimento? Talvez sim, talvez não... Se eu não o tivesse compraria? Não sei...


- The Wild One
Talvez um dos filmes mais classicos que existem acerca de motos, juventudo transviada, rebeldes sem causa (e bota sem causa nisso!) do pós-guerra. Marlon Brando, como não poderia deixar de ser pois o galã preferido da época que fazia bater mais forte o coração de toda jovem, no papel principal. Depois disso, nem é preciso dizer o quanto o filme é antigo! De mil novecentos e sessenta e picos ou antes! Em preto e branco ainda (e o bom é ver justamente assim!). Se pegar uma cópia remasterizada, poderá vê-lo colorido, mas perde todo o "frisson" de um filme que marcou época. Provavelmente seu pai ou sua mãe, se tiverem mais de 70 anos de idade, tenha visto esse verdadeiro clássico, que vai na linha "gange de motociclistas arruaceiros numa cidade pacata". Acho que foi aí que surgiu essa "maldita" linhagem de roteiros. Todo diretor que gosta de motos ou que quer fazer um filme sobre motos e gangue de motoqueiros malvados, sem dúvida alguma se inspira neste clássico impagável.


- Wild Hogs
Traduzido como "Motoqueiros Selvagens". Quase uma - ou uma verdadeira - sátira aos "Hogs" e motoclubes do tipo, de idealizam um "estilo de vida" e uma marca específica de motos: Harleys... Boas tiradas, boas cenas com as motos, mas não passa de um bom filme para ver com a família, pois vai no estilo "sessão da tarde". Quer ver um filme para relaxar, com uma certa graça, acabou de encontrar uma boa pedida. E nem lhes conto qual é o roteiro!!! Sim! Claaaaroooooo! Gangue de motoqueiros malvados que infernizam uma pacata cidade, sendo quase uma sátira a esse tipo de roteiro. O diretor, só por isso, mandou bem! Mas não esqueça do principal: da pipoca e o refrigerante, bem como a família - pode deixar os pimpolhos no sofá sem risco algum!!!Portanto, só tenho a lhe dizer: esse vale o investimento. Final logicamente mais do que esperado. Mas você fica se perguntando qual deles você é afinal. Certamente vai se identificar com algum dos tipinhos caricatos.

E era isso! Chegamos ao final mas não é o fim!!!

Vou ir atualizando este "post" a medida que for tomando conhecimento de novos filmes e tiver tempo de comprá-los e assistí-los! Até agora são 71 filmes se minhas contas estão certas! Quem souber de outros para indicar ou acrescentar à lista, pode ficar a vontade e me mandar um e-mail para adv_shadow@yahoo.com.br
Mantenha este "post" em seus favoritos! Aliás, mantenha esse blog nos seus favoritos! Siga-nos!!!


A&K Motorcycle Rentals
Aluguel de motos BMW e Harley Davidson Brasil e no mundo
Tours pelo Mercosul; Route 66 - Estados Unidos; Portugal; Canadá; África e outros diversos destinos
Consulte nossos pacotes para grupos:  aek@aekmotos.com