RECEBA AS NOVIDADES DO BLOG EM PRIMEIRA MÃO!

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Longas viagens de moto. Você está pronto? - parte 01

Já fiz inúmeras viagens de moto, sem e com minha esposa "Kyt" na garupa, e hoje, depois de mais de 100.000km em cima dos mais diversos estilos de motocicletas (big trail, maxi trail, pequenas trails, custom, sport touring, naked e street), posso repassar aos potenciais motoaventureiros algumas impressões pessoais sobre este ponto que tanto aflige a muitos motocilcistas, principalmente aqueles menos experimentados em longas viagens de moto. O que levar, com que moto ir, por onde começar, etc.

De plano, quero deixar claro que quando estou falando de longas viagens de moto, há que se considerar aquelas com distância superior há, no mínimo, 5.000km. Não é a viagem de final de semana ou de feriado mais prolongado, mas sim aquela de algumas semanas, mês ou até mais do que isso. Igualmente, não quero dar "aulas" ou "ensinar padre a rezar missa", pelo que o post certamente será mais útil àqueles dispostos a aprender e trocar experiências. Nada do que eu entendo por bom é, portanto, verdade absoluta.

Vou procurar dividir o tema em vários tópicos, várias partes, começando com a escolha da moto em si, passando pelo equipamento necessário tanto a ser agregado à moto como o que deve ser "incorporado" ao piloto, indo na sequência para a bagagem, itens essenciais, itens úteis e itens completamente desnecessários, questão de distribuição de peso, viagem com e sem garupa, planejamento prévio de roteiro, hotéis, camping, documentação, etc.

Então, sem mais delongas, vamos lá!!!


A escolha da moto ideal

Você já deve saber qual é a moto ideal para percorrer longas distâncias, certo? Pois é... A sua!

Por anos à fio me debati querendo encontrar a moto ideal para longas distâncias, longas viagens. Procurava aquela moto que fosse "indestrutível", consumisse pouco e tivesse boa autonomia (leia-se um tanque grande), fosse leve o suficiente e ao mesmo tempo tivesse motor de sobra, andasse bem no asfalto mas não fizesse feio na terra, enfim, procurava o que inexistia.

Depois de um tempo, após ler tantos relatos de gente indo de norte à sul da América montado em uma Biz, e outros não chegarem nem até 2.000 ou 3.000km longe do ponto de partida montados em grandes motos, comecei a perceber que não é muito o tipo de moto que diferencia o sucesso do fracasso de uma grande viagem de moto, mas uma série de outros fatores. É lógico que escolher uma moto com graves problemas de mecânica, projeto e de manutenção, a qual apresentou tantos defeitos que você não confia mais nela, já é estar fadado ao insucesso. Igualmente, optar por uma grande e pesada moto custom quando se sabe que a maior parte do caminho que se pretende seguir é de estradas de terra e rípio, é igual loucura. Não que não hajam loucos de plantão que encarem tais roteiros, mas isso é no mínimo dor de cabeça premeditada. É "procurar sarna para se coçar".

Por outro lado, se você vive diariamente montado na sua XT 660, F800GS, Twister, Lander, CG ou outra qualquer, e já conhece a mesma de cabo à rabo, trocar a sua parceira por outra novinha achando que pode ser melhor para viajar, é igual loucura. Vale a máxima, como gostam de dizer os do futebol: "Em time que está ganhando, não se mexe!".

Claro que tenho minhas opções de tipo de moto para viajar, as quais se alguém perguntasse recomendaria: big trails. E estou falando de Big, não de Maxi! Isso, é claro, por conta do meu porte físico: 174cm de altura, 74kg e beirando os 40 anos, nunca tendo sido nenhum magricelo mas longe de ter tido porte de "Hulk" para tirar do chão uma R1200GS Adventure lotada até as tampas. Aliás, tenho essa a primeira premissa na escolha da moto. Se ela tombar e você não conseguir levantá-la com certa facilidade SOZINHO, então ela não serve para você.

Por conta disso tudo, ando de "amores" com as BMW F800GS, não descartando as G650GS Sertão que logo mais aportam por aí.

Tenho foco nas big trails porque para mim essas não são "limitadoras". Quando com a GSX750F, por inúmeras vezes queria ir por um caminho mais tortuoso, subir a trilha de terra para ver a paisagem de cima do morro e, simplesmente tive de desistir da empreitada, porque a moto não se prestava muito para isso. Não que, repito, não seja possível você usar uma esportiva ou custom para o off road, mas isso é o mesmo que querer usar um Porsche Carrera para andar na terra. No mínimo, você vai estar maltratando o veículo, independente de sua capacidade enquanto piloto. Além do mais, a GSXF contava com uma grande carenagem, difícil e cara de arrumar. Depois de você gastar por duas vezes centenas de reais consertando a mesma, você meio que desiste do off... Por outro lado, se seu forte é tão só o asfalto, não há porque não adquirir uma Custom (apesar de eu nem assim gostar delas por achar desconfortáveis para meu estilo de pilotagem, por serem pesadas demais e terem amortecedores geralmente de curto curso) rezando para nunca ter de encarar sequer um desvio por terra ou saibro por conta de reformas na estrada.

Outro ponto primordial a considerar é quanto a autonomia. Nesse quesito, hoje para mim qualquer coisa que não consiga rodar ao menos 300Km com um tanque, está fora de cogitação. Daí outro motivo para eu afastar da mente as customs em geral. Claro que você aqui, novamente, tem de pensar que rotas quer seguir. Geralmente por asfalto, é raríssimo não encontrar um posto de abastecimento a cada 200km no máximo, salvo problemas locais de abastecimento, como greves, comoções sociais, etc. Há os que defendem sempre ser possível levar uma garrafa pet, galãozinho de óleo vazio ou outro recipiente para "carregar mais alguns quilômetros de autonomia", mas a idéia de ter gasolina fora do tanque, simplesmente não me agrada fora que, ao menos para a nossa legislação brasileira, é considerado infração, sujeitando o piloto à pesadas multas e até mesmo à apreensão do veículo. É claro que existem casos, principalmente fora do país (por exemplo, você vai encarar a parte árdua da belíssima Ruta 40) que você tem de superar essa questão e encontrar alguma forma segura de transportar mais combustível, preferencialmente em recipiente próprio para tanto. Até hoje não vi nenhum melhor que os rotopax (www.rotopax.com), mas não é porque são relativamente seguros que são liberados, legalmente falando.

Enfim, o melhor é não ter de carregar combustível extra e, quando na estrada, abastecer sempre que chegar à pouco menos da metade do tanque, para não correr maiores riscos de uma pane seca.

Com a moto certa - aquela que você conhece, que já "faz parte de você" - e uma boa autonomia, já temos meio caminho andado para o sucesso de uma longa viagem de moto, onde o importante não é só partir, mas também chegar/voltar.

Na próxima parte, vamos nos aprofundar um pouco mais na equipagem da moto, em termos de proteções necessárias para a mesma, banco, bolhas, pneus, amortecedores, etc. Você vai perceber que "montar" a moto ideal para sua grande viagem, por si só já é uma grande aventura e diversão!

Até lá!!!


A&K Motorcycle Rentals
Aluguel de motos BMW GS e Harley Davidson no Brasil e no mundo para passeios e viagens
Tour Route 66; Mercosul; Portugal e outros destinos
Consulte-nos pelo e-mail aek@aekmotos.com
Site: www.aekmotos.com


26 comentários:

  1. Muito legal a matéria, vi seu blog no Turma do Mau e resolvi entrar, parabéns! Sempre tive uma tremenda vontade de fazer uma longa viagem de moto, mas com a minha Comet GT250 não existe condições! é o que você disse "É lógico que escolher uma moto com graves problemas de mecânica, projeto e de manutenção, a qual apresentou tantos defeitos que você não confia mais nela, já é estar fadado ao insucesso."

    Portanto estou de olho em uma Ténéré 250, e gostria de perguntar a você... vai faltar motor com a moto cheia de tralha? ou vale a pena ir devagar e sempre??

    Tenho um blog também... www.allbikez.com!!

    Se quiser entrar em contato... felipe@tatica4.com.br

    Abraços!!

    Felipe Thomé.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe;
      Isso é algo muito particular. Mais adiante vamos falar sobre a bagagem propriamente dita para se levar em uma viagem. Normalmente, não há razão alguma para se levar "um monte de tralha" na moto, por mais longa que seja a viagem. Mas isso é coisa que só se aprende com a experiência.
      Quanto a cilindrada, tudo depende da sua tocada, estilo de pilotagem, etc. Como frisei na primeira parte, até com uma Biz você vai à qualquer lugar.
      Sugestão: primeiro compre uma moto que você goste à qual você se adapte, para o fim maior que você utiliza normalmente. Depois fica bem mais fácil viajar com a mesma...
      Só não deixe de viajar porque você não tem a moto ideal!
      Abraços!
      Adv

      Excluir
  2. Olha gostei das dicas, apesar de já ter lido muito e feito algumas viagens a última fui ao Ushuaia, te parabenizo pela paciencia de escrever detalhadamente. Meu interese é pq agora estou com uma F800gs e busco dicas para acessórios mais em conta. Parabens e grande abraço. Micka

    ResponderExcluir
  3. Cara Obrigado por caras que nem você ter essa paciencia de nos passar tanta experiencia assim,

    fiz minha primeira viagem de moto a poucos dias fui de CG 150 para São Thomé, 350Km com minha noiva na garupa, foi muito legal,

    agora quero tambem uma Tenéré 250 pra viajar até uns 1000KM

    Fica a dica tambem pra quem não acredita, Procura por Flávio Kenup Ele já foi de traxx 110cc pro Alaska

    ele é uma lenda,

    Então fica assim meus parabens pra você,

    ResponderExcluir
  4. Olá.
    Bom, atualmente estou trabalhando em uma cidade vizinha, algo em torno de 258km da minha residencia... Trabalho 12h e folgo 48h. Nessas 48h de folga fico vindo para minha cidade já que moro só com minha esposa que esta gravida e não posso deixa-la só.
    Qual seria a moto ideal para ficar fazendo esse trajeto de 258km de asfalto? Não fico vindo de onibus pq perco tempo na rodoviaria esperando, sendo assim ja perdendo horas da minha folga. estou na duvuda entre uma CB 300 ou uma XRE 300. Mas tbm possso me sacrificar um pouco mais e comprar uma yamaha XJ6 usada. A questão é se essa xj6 não vai me cansar mais que as outras devido sua posição de pilotar mais esportiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende de sua experiência de pilotagem, altura, peso, etc. Essa distância, se a estrada é boa (vem de onde prá onde vai?), sua disposição, preparo físico, etc. Essa distância dá até para fazer em 2h30min se vc tem boa experiência e resistência. Acontece que, depois de 12h de trabalho, como você sai do serviço? Pilotar cansado pode ser um risco muito grande... Tudo isso vc tem de pesar ao comprar uma moto para "deslocamento à trabalho". Salvo se vc passa por caminhos/acessos de terra (quando ficaria com a XRE300), ficaria com a XJ6. Isso porque estamos falando de um motor 4 cilindros em linha contra 1... É como falar em uma britadeira contra uma furadeira, entende? digo, a vibração e o desconforto em uma monocilíndrica (XRE e CB300) vai ser muito maior, ainda mais se só no asfalto, do que numa "naked". Outrossim, na XJ6 você pode pensar em uma bolha ou semi-carenagem, o que tornará tua viagem ainda mais confortável. Use todo equipamento de segurança, não abuse da sorte nem da velocidade, pare quando estiver cansado/desatento/irritado, etc. Lembre-se que, antes de mais nada, um filho está vindo por aí, e certamente ele não quererá ser órfão, certo!? Juízo, cara!!! Abraços; Adv

      Excluir
    2. A estrada é mto boa. Alfalto novinho!!(Teresina/Floriano) Tenho 1.78 de altura e peso 73kg.
      Sou Policial, qdo saio do trabalho, sempre durmo 1 hora antes de pegar a estrada de volta.
      Vlw pelas dicas.
      Parabéns pelo Blog.
      Abraço

      Excluir
  5. Tenho uma Titan Ks 2000, óbvio que é suicídio andar pela Aércia do Sul nisso, por isso acabei de comprar uma Kawasaki Ninja 300 cc, que ainda nem chegou, mas nunca andei numa maior que 250 cc, logo tenho que me habituar a nave primeiro, gostaria de saber se esse tipo de moto é bom pra isso.

    Obrigado

    Abraço

    Daniel

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela matéria com certeza tirou muitas dúvidas de quem é iniciante em viagens de moto!

    ResponderExcluir
  7. Prezado A&K,

    Gostei muito do seu texto. Apesar de ja ter tido uma moto, há muito tempo não piloto uma.

    Pretendo fazer uma viagem para o Chile em 2015 de moto, e já estou lendo sobre o assunto.

    O que você acha de fazer essa viagem com uma Ninja 300? Será que vou ficar muito cansado? Será que essa moto aguenta?

    Todos estão me indicando a triumph street triple, mas ela custa 32 mil, muito além do que posso gastar com uma moto. Já a Ninja 300 possui um preco mais acessivel, e lhe entrega um motor relativamente potente.

    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado; Tudo é muito relativo! Depende do seu porte físico e também do gosto pessoal... Se vc tem mais de 175 por exemplo, não recomendaria jamais uma ninjinha! Aí sim, cansa demais! Street triple? Não gosto de nakeds para longas viagens... O vento batendo no peito e capacete, incomoda e cansa ao longo dos kms. Se a grana anda curta e vc não é muito baixo, pensaria seriamente em uma Honda Transalp ou quiçá até uma BMW G650GS ou F650GS. Uma usada vc consegue pelo valor praticamente de uma ninjinha. Lembrar que a ninjinha é complicada de viajar com carga... Nem pense em viajar com mochila, porque mói as costas! Qqr coisa, à sua disposição também no e-mail adv_shadow @ yahoo.com.br. Abraços! Adv

      Excluir
    2. Prezado Adv,

      Obrigado pelos esclarecimentos. Tenho 1,69m, mas sou pesado (atualmente 90 Kg). Ontem fiquei lendo as suas publicações e realmente terei de ganhar massa muscular e perder um pouco de peso (talvez uns 20 Kg) pra encarar uma viagem dessas. Aliás, parabéns pelos posts. Pra quem é iniciante, como eu, ajuda muito.

      Indiscutivelmente, a BMW é uma belísisma marca, mas esses modelos indicados G650S ou F650GS não me atraem muito. Eu gosto mais de motos street e me simpatizei muito pela Ninja 300. Eu já tive uma Twister há muito tempo e gostava MUITO dela! Só não gostei de viajar 100 Km com ela pois vibrava muito. No resto, era uma excelente moto.

      Eu vi no youtube um suporte para baú. http://www.youtube.com/watch?v=tKlaMecXNbE

      Não sei se atrapalharia durante a viagem.

      Ah... outro problema q estou enfrentando é o apoio da família. Todos estão falando que estou pensando somente em mim, e que deveria pensar no resto da família... affff... isso está me desanimando e me deixando louco! Esse tema foi abordado em um post antigo que você fez. Estou enfrentando exatamente aquilo que você descreveu!! :(

      Enfim, obrigado pelo retorno e continue com os posts. Vou acompanhá-los de perto.

      Ah.. em tempo.. Adv é de Alexandre? Alex? Ou não tem nada a ver com o seu nome? Tipo Adv = Adventure? (rs)

      Excluir
    3. Fabiano;
      Adv, de advogado... E porque não de Adventure, não é mesmo?
      Quanto ao "apoio da família", já escrevi sobre isso em um de meus posts: http://aekmotoadventures.blogspot.com.br/2013/03/quando-familia-nao-gosta-que-voce-ande.html
      Enfim... Resumo tudo dizendo que devemos pensar como queremos morrer. Se a cada dia um pouco ou apenas uma vez.
      Quando a gente não pensa na gente, não tem como pensar nos outros. Quando a gente não faz o bem nem para a gente mesmo, como fará aos outros?
      O melhor caminho, é sempre o equilíbrio.
      Quando há esse tipo de cobrança, está faltando equilibrio em um dos lados.
      Ninguém pode estar sempre certo. Nem sempre errado.
      Torço para que a melhor, e mais equilibrada, decisão seja tomada!
      E para que você não morra um pouco a cada dia...
      Abraços;
      Adv

      Excluir
  8. E daí Max, primeiramente parabéns pelo blog, está show!!
    Bom,estou pensando em comprar minha primeira big trail (média).
    Estou disposto de início gastar a média de 30k.
    Sou apaixonado pela BMW GS650, acho linda.
    Porém, acho o tanque dela uma miséria, sei que temos soluções a fazer (fora do Brasil, já que aqui é proibido carregar gas fora do tanque, e também não me agrada muito).
    Isso é o que está mais pesando para que eu não pegue um BM (intimidade a parte).
    Sou novo, tenho 23 anos, e apaixonado por motos e viagens (meu pai sempre teve moto e final do ano tô indo fazer muchilão peru/chile).
    Você, com essa vasta experiência em viagens, acha que esses miseráveis 14 litros dão conta do recado?
    Valeu e desculpe posta em uma postagem antiga!!

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vitor... Quem é MAX? Não conheço! He, he, he! Olha... Capacidade de tanque é sempre muito relativo, porque depende da tocada. Até menos de 10 litros em uma moto pode ser suficiente. Tudo vai depender, basicamente, de quanto vai gastar por kilômetro rodado. Uma G650GS chega a fazer mais de 20km/l para aqueles que são menores e rodam mais "leve", sem abusar do acelerador, o que leva a autonomia próximo de 300km. No Brasil e Mercosul em geral, isso está ok, pois temos bastante postos. É difícil ver um distante a mais de 200km de outro. E, se a coisa apretar demais, como na Carretera Austral, um galãozinho de 10 ou até 5 litros pode já resolver. Lembre-se: tudo é sempre muito relativo. Quem irá, por exemplo, fiscalizar o seu combustível fora do tanque quando você estiver andando em um fim de mundo onde nem abastecimento tem? No mais, para viajar, qualquer moto é boa. Acho que no motociclismo, ao final das contas o que mais importa, é a paixão mesmo. E se tens predileção por uma determinada moto, lembrar que a vida é uma só. Ou a gente resolve nossos gostos e paixões aqui ou... Vai saber se no céu tem moto, não é mesmo? Abraços! Flávio - A&K Motorcycle Rentals

      Excluir
  9. Max de máximo aventureiro, máximo motociclista e por aí vai rsrs
    Viajei nessa!! rsrs
    É, tens razão, acho que não seria problema.
    Ah, uma pergunta são 14L+4L da reserva? ou são 10+4?

    ResponderExcluir
  10. São 14 litros de capacidade no tanque da G650GS. Portanto, contando a reserva, ou seja, 10+4...
    Vitor! O único problema no mundo motociclístico e não ter moto! Isso sim, é prá acabar.
    Em tempo, com R$ 30k periga vc pegar uma F800GS usada já, hein? O que para longas viagens pode ser melhor... Para teres uma idéia, há pouco vendi uma F800GS 2013, tirada em novembro, com pouco mais de 10k km por R$ 34,5k.
    Se interessar, procure que vc acha.
    Claro, acho que tudo depende de sua experiência. Não acho uma boa sair de CG por exemplo e ir a uma F800GS. Também considerear teu porte, responsabilidade, onde mora (em SP e RJ os valores de seguro são um tanto inviáveis!), etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flávio, eu ainda matuto muito sobre comprar nova ou usada.
      Sabe aquele lance de querer comprar sua primeira moto zera?
      A primeira vista eu quereria comprar uma usada.
      Porém, tô no muro enquanto a isso.
      Mesmo sabendo que se acha MUITAS motos trail pouquíssimas usadas (até li um post seu sobre não cair em ciladas ao compra-las).
      Então Flávio, nessa questão até me considero bem consciente.
      Ando em uma naked 1100 (do meu pai) desde que completei 18, sempre com responsa, porém, não faz meu estilo de moto.
      Fora minha JOG (rita lee) que ando desde meus 7 anos, minha máquina! rs
      Hoje não moro mais com ele, moro em MG e posso comprar minha moto.
      1,73 x 84kg (pratico atividade física semanalmente, corro 5k, 10k entre outros)

      Excluir
  11. Olá, boa tarde! Será que uma viagem a bordo de uma er6n seria algo muito desgastante? Adoro a minha moto e não queria troca-la por uma trail, mas tenho receio de não aguentar o tranco.
    Show de bola suas dicas! Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara... Cada moto tem suas características de viagem e o que pode ser feita para melhorá-la... Exemplo: banco duro, amortecedor ruim, baixa autonomia... O que se faz? Coloca um pelego sobre o banco, ajusta ou troca amortecedores, leva um galão de combustível. Enfim, o que quero dizer é que tudo tem solução! Claro que cada moto sempre terá sua tocada. Não adianta querer atravessar uma área de rípio de HD na mesma velocidade de uma F800GS, ou chegar com uma Biz no mesmo prazo que em uma R1200GS Adventure, compreendes? E no mais, sempre respeitar o SEU limite, indo sem pressa na proporção que mais longa for a viagem... Já que, com o tempo se aprende, que rodar mais do que 500/700km por dia todos os dias em uma viagem, não leva a nada! Afinal, quem quer fazer só quilometragem prá se sentir importante, o melhor é virar motoboy... He, he, he! Abraços!

      Excluir
  12. Boa Noite!
    Comprei uma PCX 150 só pra rodar perto de casa, meus amigos estão me chamando pra viajar pra Argentina com ela, moro no Paraná.
    Será que ela aguenta? tem rotas asfaltadas até lá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aguentar aguenta ir até Ushuaia, de lá para o Alasca e voltar... Cara! Qqr moto/scooter aguenta se VOCÊ aguenta! Se tem rotas asfaltadas até lá? Depende de ONDE na Argentina é "até lá". Para onde vocês pretendem ir? Também deves pesar que motos vão nessa viagem, se o pessoal tem experiência, se gosta de andar no seu ritmo, etc. A PCX é uma scooter que para ir bem na estrada deve rodar por volta dos 70km horários. Mais do que isso, não é para essa scooter, e você vai judiar dela. O fator principal nessa sua viagem está mais para quem vai com você e não sua moto. Se for um povo que gosta de andar forte, com motos mais potentes... O melhor é nem se juntar a eles, sob pena de MUITO estresse, gozação, encheção de saco, etc. Claro, vai de cada um saber onde, e com quem, está se metendo... Abraços!

      Excluir
  13. Ismael - Ubatuba/SP.

    Concordo plenamente que cada um deve ter e viajar com a moto que gosta. Em 2014 eu com uma CBR600F e um Amigo com uma HD Sportster fomos de Ubatuba ao Chile/Deserto do Atacama. Rodamos 10.600KM. Foi uma viagem sensacional!!
    Muito úteis essas informações! Parabéns à Equipe A&K.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. ao ler alguns comentários vi que tem haver comigo gosto muito de motos todas, principalmente de viajar tenho muitas duvidas, ja possui varias mas ainda não encontrei a que mais se adapta ao meu perfil tenho 1,63mt 72kg atualmente tenho uma xt660r ano 2015 pretendo vender e comprar outra estou em duvida entre a hornet com o ronco maravilhoso e cb 500 mais comportado

    ResponderExcluir
  15. Daí beleza curti seu blog e suas dicas são MT motivadoras! Eu estou saindo de uma Twister e quero muito pegar uma bandit 650n ou uma fz6N adoro as naked e estou com muita dúvida a respeito das viagens, pois quero muito viajar e pra longe mas gosto MT das naked, queria uma opinião obrigado!

    ResponderExcluir