RECEBA AS NOVIDADES DO BLOG EM PRIMEIRA MÃO!

terça-feira, 17 de junho de 2014

Motos BMW's e Recall's - porque tantos, afinal?

Volta e meia a BMW Motorrad vem emitindo chamados de "recall's" de diversas de suas motos. Com isso, tenho visto muitas reclamações de proprietários, potenciais compradores e sobretudo de antipáticos à marca bávara apontando que a BMW "não respeita seus consumidores", sob alegação - dentre outras - de que é inadmissível colocar no mercado uma moto tão cara com tantos "bugs" que vão na sequência requerer "recall". Perguntam-se também por que, com tantos recall's, insisto em ter somente BMW's, em vez de partir para as concorrentes, que, além de tudo, são "muito mais baratas", dizem.


Tenho bons motivos, respondo... E questionam-me não se dando por vencidos: mas o que é e porque tantos "recall's" nas motos BMW's?

"Recall", numa tradução simples, seria "chamar de volta". Em se tratando de veículos, é o "chamar de volta" para efetuar algum conserto ou troca de peça específica, sempre que se descubra potencial probabilidade de problema que possa comprometer a segurança.

E o que compromete a segurança em uma moto? Praticamente TUDO! Um simples parafuso pode gerar um potencial problema de segurança. Imagine um parafuso que sustenta o motor soltando-se ou quebrando por defeito de fabricação, um parafuso da pinça de freios sem a devida fixação, um parafuso da mesa de direção que... Bem! Acho que você já entendeu!

Sendo composta de milhares de peças, fica evidente que uma destas pode ter defeito de fabricação, seja em uma unidade e/ou em um lote. Imagine uma máquina automatizada produzindo parafusos ou juntas e, lá pelas tantas, sofre desregulagem por ação externa ou desgaste da própria máquina e começa a produzir uma junta "mordida", com falha ou micrômetros menor ou maior do que deveria. Imagine agora que tais juntas passaram batidas pelo controle de qualidade e acabaram sendo montadas em eixos cardãs de BMW's R1200GS ou então na vedação do sensor do cavalete lateral... Quando é que a BMW poderá descobrir a falha? Talvez nunca. Talvez assim que dois ou mais proprietários reclamarem do mesmo problema! 

Pronto! Foi acesso o estopim para um recall, procedimento dispendioso para a marca, pois além de fazer o chamamento de inúmeros proprietários, tem de colocar mecânicos, agendadores de serviços e outros à postos para atenderem a demanda de troca de peça que PODE (isso não é uma certeza), vir a, quem sabe, um dia, sob condições X, Y ou Z, apresentar defeito.

É claro que nenhuma montadora faz "recall" pura e simplesmente de "boazinha". Dentre outros motivos, procura se preservar de futuros processos judicial de responsabilização/indenização por conta de eventual acidente ocasionado por falha de determinada peça. 

Aí você pensa... Mas no Brasil isso "cola"?

Enquanto advogado, deixe-me lhe dizer a realidade no Brasil... Quando muito, depois de longa batalha judicial que por vezes leva dez anos ou mais, você consegue uma indenização que se pagar as custas iniciais do processo e honorários de seu advogado, já é muito. Com efeito, já vi indenizações por danos morais GRAVES não passando de R$ 10.000,00 e indenizações por MORTE na justiça do trabalho em cifras não maiores do que R$ 5.000,00. Isso mesmo! Você leu direito! Cinco mil reais! A vida humana aqui não vale muito mais do que isso... Indenizações milionárias como se vê em filmes americanos, só lá acontece. No Brasil, está muito longe de ocorrer!

Assim, fora a preocupação com a imagem da marca e com o cliente, pode ter absoluta certeza que outra razão não teria a BMW ou qualquer outra marca para replicar recall's em solo brasileiro.

Por fim, deixe-me falar de um caso particular envolvendo recall's e uma moto Buell que tenho. Enquanto "lá fora" pelos idos de 2002 a 2006 houveram recall's desta marca de a) suporte do pezinho (podia quebrar. A minha quebrou. trocado...); b) rolamento de rodas (podiam quebrar. O da roda traseira da minha quebrou. Trocados todos rolamentos); c) ventoinha (podia trancar por quebra de rolamento. A minha travou. Troquei o conjunto); d) retentores das bengalas (podiam vazar. A minha... Bom. Troquei) e outros que não me lembro mais, sabem quantos anunciaram aqui? NENHUM! Isso mesmo! Procedi as trocas ou de meu próprio bolso, ou levando à concessionária o informativo estrangeiro exigindo o serviço, feito com muita má-vontade, como se fosse um favor... 

E não se engane que isso aconteceu somente comigo e minha moto! Tenho ouvido INÚMEROS relatos de diversos outros proprietários de motos das mais diversas marcas, com problemas IDÊNTICOS para determinado modelo que simplesmente não são chamados à recall, como se tais problemas fossem meras coincidências. Coincidências de falhas mecânicas? Hein?

Quanto a BMW, entre no site  BMW Motorrad e vá até a aba "Pós-Vendas". Pois é. Está tudo ali. Preto no branco.

E aí você não fica se perguntando PORQUÊ as outras marcas não fazem recall's? Será que você é ingênuo a tal ponto que acredita piamente que somente as motos BMW sofrem recall's ou tem defeitos em peças?

Digite "recall Triumph", "recall Yamaha", recall a marca da sua moto, e vais ver que não só a BMW sofre de "problemas" de recall's mas todas as marcas de motos que se prezem. Umas mais, outras menos, o importante é chamarem ao recall. 

Num suspiro final, talvez alguém ainda vá murmurar: "Mas antes não tinha tanto disso..."


De minha parte, prefiro 100 recall's do que o descaso com o consumidor. 

E você? Continua preferindo a inexistência de um recall?    

Pense nisso, enquanto lhes digo...

Até breve!!!



Crédito das fotos:
Google images

A A&K Motorcycle Rentals está sempre atenta a eventuais recall's de suas motocicletas BMW GS's, assim como solicita a clientes que reportem qualquer problema que porventura verifiquem, ainda que ínfimos. Além disso, mantém as mesmas com revisões estritamente em dia, realizando também um check up completo de cada moto depois e antes de cada nova locação.


3 comentários:

  1. Parabéns excelente matéria, realmente no Brasil uma vida não vale nada, inúmeras pessoas morrem nos hospitais enquanto bilhões são gastos em estádios, inúmeras pessoas morrem no transito por falta de uma melhor infraestrutura da estradas como dinheiro gasto nestes estádios e com esta copa bem que poderiam construir uma TRAnsBrasil do Chuy a Monte Caburaí, E uma TRAnsLitoranea Do Chuy ao Oiapoque com quatro pistas de deslocamento rápido sem cortes e vias de aceleração e desaceleração, marginais, elevados de acesso e sub túneis e passarelas para pedestres...Mas a vida no Brasil não vale nada...A Bola vale muito mais, o Carnaval vale muito Mais, Então viva o país do imposto, da impunidade e da falta de respeito a tudo e a todos, dito isto não é fácil de imaginar que alguém ache ruim ou pejorativo uma marca chamar para um Recall, até por que muitos nem estão interessados em saber o que significa e o que esta implícito nisso...Não conseguem aceitar o fato de terem comprado um bem de apenas cem mil reais venha a ter defeitos enquanto gastam trilhões de libras "com IOF" em administradores públicos ladrões e incompetentes, e estão na tua hoje de verde amarelo fazendo festa com todos eles. Sorry teu Brasil por que de mim me foi roubado a muito tempo!!!

    ResponderExcluir
  2. Pois é... em geral de acordo. O problema é que a BMW faz recalls somente de suas motos Premium. Nunca ouvi sobre um recall das G650 a pesar dos inúmeros problemas recorrentes relatados atá o cansaço em Fórums e grupos.
    Posso relatar alguns, dos mais simples aos mais complexos:
    - Paralaminha dianteiro batendo no pneu em qualquer irregularidade do piso.
    - Bico de pato quebrando e caindo nas Sertão.
    - Piscas quebrando e caindo.
    - Emblemas BMW soltando do tanque.
    - Bateria que exige manutenção permanente por estar no local mais quente da moto o que causa evaporação prematura do líquido. A bateria está sob 11 parafusos da tampa...
    - Tanque de óleo do motor que fissura e vaza sobre a tampa do cilindro.
    - Bomba d'água com vazamento interno o que provoca mistura da água de arrefecimento com o óleo do motor.
    - Trincas no escapamento de aço inox.
    E o SAC permanentemente desconversando sobre estes problemas...
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conrado; quanto ao paralamas das Sertões, quebram DESDE O LANÇAMENTO! Tanto é que à época houve uma "carta" do então Diretor da BMW Motorrad do Brasil, Rolf Epp, dando conta de que o problema seria solucionado. Tem até um post aqui, de fevereiro de 2012. Se continuou, a BMW deve trocar, ainda que fora da garantia, pois esse era um defeito reconhecido nas primeiras unidades. Idem quanto a outros itens, ainda que comprovar a quebra por fadiga "precoce" seja difícil. Quanto aos piscas, veja que são totalmente "fixos", sem "molejo" como acontece na maioria de outras motos "vibrantes". O ideal nesses casos é verificar se houve recall lá fora e também juntar vários relatos, encaminhando em conjunto ao SAC. Ainda, reclamar formalmente no "Reclame Aqui", que costuma funcionar. Idem Procon. O que não dá é prá ficar "quieto" e relcamar só em foruns, pois nem a BMW nem outras marcas lêem foruns, ainda que eu ache que devessem ter gente fazendo isso!!! Tem de correr atrás sim! Quem sabe daí se cria um recall destes itens? Só não acredite isso para bateria, por exemplo, porque isso é projeto. Para todos os efeitos, não foi feita para ser desmontada pelo cliente, ainda que com uma boa parafusadeira vc faça isso em 1 minuto. A bateria deve ser completada a cada 6 meses, no mínimo. É recomendação da própria BMW! Enfim, o problema se chama "China", líderes em fabricar tudo e qualquer coisa, com qualidade duvidosa. Faz tempos que a BMW não é mais alemã... Aliás, faz tempo que nenhuma moto não é ao menos 90% chinesa. Outrossim, há "murmúrios" que a 650 vai ser descontinuada. A Sertão já foi... Não colou. E o que pega é que a F800GS está vendendo bem mais do que a 650. De se pensar. Será que não é um projeto que não deu certo mesmo? Uma coisa era a antiga F650GS, outra a G650GS atual. Tenho ouvido muitas críticas quanto a moto também...

      Excluir