RECEBA AS NOVIDADES DO BLOG EM PRIMEIRA MÃO!

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Triumph Tiger Explorer versus BMW R1200GS. Com qual moto você vai melhor, afinal?

No post passado, ao fazermos um comparativo técnico entre a Triumph Tiger 800XC e a BMW F800GS, um amigo pediu algumas linhas para decidir entre a Triumph Tiger Explorer ou a BMW R1200GS. 


De plano, já deixei claro a ele que meus "post" tratam apenas da questão comparativa técnica, já que igualmente não andei nessas duas motos. Tive, porém, por "apenas" 3500km uma BMW R1200GS Adventure, que de meu ponto de vista não se compara sequer com sua irmã menor R1200GS "normal". São, mesmo dentro da família, dois mundos completamente distintos. É meio como dois irmãos gêmeos, idênticos, mas onde um fez musculação para crescer e o outro ficou apenas no aeróbico...

Agora...

Quando se fala na nova Explorer comparando-a com a R1200GS, primeiro temos de saber onde estamos pisando. Qual a intenção real? Comparar a Explorer com a  "antiga" R1200GS a ar ou com a NOVA R1200GS Liquid Cooler 2013? Ou estamos comparando a Explorer com a R1200GS Adventure 2012???

O mais "justo" para nós parece ser fazer o comparativo entre a R1200GS que está no mercado e a Explorer... A um porque se fôssemos comparar a inglesa com a top de linha Adventure, temos que a primeira sairia em franco prejuízo (nada bate a suspensão regulável da Adventure ao toque de um botão e aquele tancão de 33 litros, que a tornam uma "comedora de estradas"!!!), e a dois, se comparássemos a R1200GS LC (nova) com a Explorer, estaríamos a fazer comparativos de algo que NÃO está no mercado com outra que já está. Nesse ponto, porém, temos que a briga mais "justa" seria exatamente entre estas duas, mas temos que, com toda tecnologia embarcada na nova R1200GS, mais uma vez a inglesinha poderia ficar à ver navios. Dito tudi isso, ficamos na comparação entre Tiger 1200 XC e R1200GS.

Aos fatos estamos falando de uma alemã com 1170cc's, 110cv's e 229kg (ordem de marcha) contra uma inglesa de 1215cc's, 137cv's e 259kg (ordem de marcha) e aí o bicho já começa a "pegar"...

Pelo que se poderia dizer de saída, verifica-se que a Explorer responde com um motor bem mais agressivo, necessitando, contudo, atingir 9000 rpm's para encontrar sua maior potência, enquanto que a GS já está fazendo isso nas 7750 rpm's. Isso quer dizer, basicamente, que o motor da Tiger estará "berrando" bem mais para atingir seu torque máximo mas que tem bem mais "puxada" que a  BMW? Absolutamente, a resposta é um sonoro NÃO! Muito embora estejamos falando de 27 cavalinhos à mais, estranha-se que a inglesa tenha praticamente o mesmo torque da alemã, com a diferença de que a BMW atinge sua força máxima à rotações muito inferiores do que a Triumph. Culpa do motor tricilíndrico da Tiger, pois, na teoria, quanto maior o número de cilindros em motos, mais rotações teremos de ter. É por conta disso que os sonoros "quatro em linha" exigem rotações tão elevadas e vão muito bem em esportivas. Então, teoricamente falando, desde já se percebe que a inclinação da germânica é muito mais "off" que a tigrada, a qual deve ir melhor no asfalto, de onde parece vir o maior apelo das motocicletas da marca, que não fazem feio em tal ambiente. 

Em termos de consumo, a BMW ressalta que a 90km/h, pode-se atingir surpreendente marca de mais de 23 km/l. Considerando seu tanque de 20 litros, estaríamos falando de uma autonomia de mais de 450km, o que sinceramente, acho muito pouco provável. isso porque o trajeto em qualquer estrada lhe obriga enfrentar ventos, paradas, acelerações, freadas bruscas, mudanças de temperatura, carga, etc., pelo que razoável seria falarmos em uns 20km/l (até porque, convenhamos, não conheci nenhum motociclista de longo percurso que mantivesse seus 90km/h sobre motos de altas prestações!). 

Já a Triumph fala a mesma coisa, se atrevendo algumas publicações a falarem de até 24km/l. Tanque? Idênticos 20 litros... É a eterna briga de qual big trail é a melhor, qual anda mais, etc., etc., etc. Mas... Com 137cv's e um bom motor quase esportivo, acredito ainda mais difícil do que na BMW manterem-se as baixas rotações e velocidades para se fazer média tão boa. A vontade de "enrolar o cabo" sem dúvida é bem mais latente. Ficaria, portanto, também na Triumph considerando os 20km/l. 

Dois discos flutuantes de idêntico tamanho na frente das duas motos, 4 pistões para as mesmas, e na traseira, um disco simples de 2 pistões, e a gente já começa a se perguntar quem copiou quem, ainda mais quando vemos que ambas usam pneu de 110/80 R 19 na dianteira e 150/80 R 17 na traseira. Nada menos original é possível. E como se não bastasse, as suspensões mudam em milímetros apenas, com 190mm de curso na dianteira de ambas contra 194 e 200mm com vantagem da BMW na traseira. Milímetros esses que não fazem praticamente diferença nenhuma. Em tese... Sim. Porque nunca podemos esquecer que nas BMW's 1200 estamos falando do sistema de amortecimento frontal telelever, que pode vir equipado com "ESA", enquanto na Triumph não há essa tecnologia toda. De se admirar por conta da parafernália da alemoa, que a Triumph seja mais pesada. Aliás, esse foi ponto que muito nos supreendeu quando do lançamento da Explorer, pois, sinceramente, esperávamos uma moto um tanto mais leve (nota: a Super Ténéré também perdeu pontos conosco nesse quesito...), uma vez que estamos falando de corrente e não cardã, de suspensão invertida simples e não telelever, de mesma capacidade de tanque, motor que não muda tanto, etc. Estaria toda essa diferença de peso em 1 cilindro a mais da Triumph? De minha parte, tenho que a inglesinha poderia - e deveria - fazer um bom de um regime, antes de mais nada!

Quanto ao conforto, o banco da BMW fica a bons 850mm do solo, recebendo bem pilotos de 170 e poucos centímetros de altura. Da mesma forma anda a Triumph, com seu banco que não assusta pilotos menores, distando este a 840mm do solo.  

Mas...

(e o que "mata" é sempre o mas...)

Se a Tiger Explorer vier ao Brasil - e isso não é nenhuma certeza, embora boa probabilidade - especula-se irá custar em torno de R$ 63.000,00 (sessenta e três mil reais) o que é valor bastante salgado e faz o potencial consumidor pensar muito antes de partir para experimentar a novidade. 



Outro fator preocupante, como sempre, é que a Triumph tem poucos representantes no Brasil, e, muito embora o fabricante avise que vai implementar em torno de 12 pontos de representação até final de 2013, não se pode contar com a galinha antes do ovo. Ou vice-versa. 

Finalmente, salvo por importação direta, não se terá antes de abril do ano que vem a moto aportando por aqui. 

Dito isso, se a questão é comprar já, não resta outra alternativa que não a BMW.  Porém se não há pressa... 

Malditas dúvidas!!! Nada melhores quando as tão doces em torno de motos...



Crédito das fotos: 
Site http://www.motociclismo.es


A&K Motorcycle Rentals Aluguel de motos BMW GS e Harley Davidson no Brasil e no mundo
Tours pelo Mercosul, Route 66 - Estados Unidos, Portugal, Canadá, África e outros diversos destinos
Consulte sobre locações e pacotes:  aek@aekmotos.com
___________________________________



* Informamos que os post elaborados são realizados geralmente apenas com base em informações variadas buscadas junto aos fabricantes, impressões "estáticas" das motos comentadas e ainda por matérias de diversas páginas da internet e imprensa especializada, nacional e sobretudo estrangeira, de onde procuramos selecionar os melhores e mais fidedignos dados. Junto a isso, adicionamos experiência de mais de 15 anos de pilotagem e centenas de milhares de quilômetros nos mais diversos tipos de motos, estradas e condições climáticas. É com estas bases e características técnicas de cada moto que procuramos emitir impressões acerca de um e outro modelo. Por tais razões, nossa opinião não é indicativo ou sequer sugestão para aquisição de um ou outro modelo.

O autor do "post" não teve contato direto até a presente data com a moto Triumph Tiger XC, pelo que as impressões quanto a mesma são ainda mais técnicas do que com referência a R1200GS, uma vez que já teve, em contrapartida, oportunidade de pilotar por 3500km uma Adventure.  

Frisamos, por fim, que não temos nenhum vínculo ou obrigação comercial com quaisquer das marcas citadas. Quaisquer críticas podem ser dirigidas diretamente ao e-mail adv_shadow  arroba yahoo pt com pt br . 



11 comentários:

  1. Obrigado pelo post. Pelo que andei lendo a Explorer está confirmada no Brasil, inicialmente importada e custando por volta de sessenta e poucos mil Dilmas, que é proximo do valor da R1200GS "básica".

    O alto peso da Explorer realmente foi uma surpresa negativa,que acaba praticamente anulando a vantagem da potência superior.
    No fim das contas acho que o que vai fazer a diferença para a Triumph é o preço praticado em relação à BMW.
    Fiquei entusiasmado no começo, mas pelo jeito vou continuar com a minha R1200GS.

    ResponderExcluir
  2. Vamos esperar a nova GS-LC 2013, pois o comparativo entre a "atualíssima" Tiger Explorer 1200" e a desatualizada "GS 1200" me parece absolutamente sem parâmetros. Uma coisa é certa, por enquanto. A GS ainda é "RAINHA".

    ResponderExcluir
  3. O ponto chave ainda é: cadê as concessionárias Triumph?

    ResponderExcluir
  4. Por aquí só agora que está chegando (no gerúndio mesmo) um ponto de vendas da Triumph, a British Triumph Brasília, que não é concessionária própria, mas sim do Grupo Honda Autohaus e Honda DF Veiculos! "abrir no final de abril ou começo de maio".

    ResponderExcluir
  5. Ribeirão Preto e São Paulo possuem agências da Eurobike e Triple Triumph. Já o restante do país sincerametne não sei.

    ResponderExcluir
  6. Para quem está em dúvida em comprar uma nova Bmw R 1200 2013 ou um Triumph Explorer 1200 vou dar a minha opinião sobre as duas motos, que com certeza será diferente de outros, pois cada um tem o seu gosto.
    Tive o prazer de fazer uma viagem com cada uma das motos em uma boa estrada de asfalto e vou passar o que achei de melhor e pior em cada uma delas:
    -Posição de pilotar as duas são parecidas e bem confortáveis, fiquei bem posicionado em ambas, não tenho do que reclamar em nenhuma das motos, minha altura é 1,87.
    -Suspensão são bem diferentes, a Bmw é bem mais macia, da impressão que está andando em um barca, confesso que quando sai da Explorer e peguei a Bmw achei a suspensão ruim mole parecia que não dava confiança, mais depois de alguns quilômetros me acostumei e passei a achar bem confiável e gostosa. A Explorer é mais dura, balança menos, mas passa uma boa segurança também.
    -Motor:
    Arrancada as duas são bem parecidas e de final a Explorer leva uma boa vantagem.
    Ruído achei que a Bmw é um pouco mais barulhenta, o som do motor entra mais no capacete que a Explorer, o ronco do escapamento da Bmw é normal e o da Explorer é uma delicia parece uma moto speed, te chama para acelerar.
    Vibração esse é um detalhe que não gosto na Bmw ela vibra um pouco, enquanto o motor da Explorer não vibra praticamente nada é liso uma maravilha.
    Calor do motor as duas quando estão na estrada transmitem um pouco de ar quente nas pernas mais nada de mais, mas quando estamos andando na cidade a Bmw é bem melhor, a Explorer liga a ventuinha do radiador e manda o calor na perna do lado esquerdo que não é muito agradável.
    Consumo são iguais.
    Aerodinâmica as duas são ótimas, a tela das duas e a carenagem quebram bem o vento, a Bmw tem a vantagem de conseguir regular a tela andando, a Explorer tem que parar para mudar a posição.
    Piloto automático tem o mesmo funcionamento, mas achei que o botão de ligar da Bmw por ser na mão esquerda é melhor, a da Explorer por ser na direita atrapalha um pouco, pois quando vai ligar acaba mexendo o pulso e a aceleração da uma mudada, tem que ter um pouquinho mais de habilidade com os dedos.
    Banco as duas são bem confortáveis.
    Freios são perfeitos em ambas.
    Embreagem a Bmw leva vantagem para acionar é bem mais macia.
    Curvas ambas são ótimas.
    O que posso dizer no final do passeio é que qual seja a moto que comprar você ficará satisfeito, não achei que nenhuma desbanca a outra, as duas são maravilhosas e as diferenças são poucas.

    ResponderExcluir
  7. Meu caro achei o teu comparativo "bastante aproximado da realidade " ainda assim creio que você deve ter uma BMW na garagem ..eu pessoalmente já tive uma BMW GS e ate uma Adventure e agora uma Explorer Quanto a potencia meu caro não da para comparar a Explorer não anda mais ela simplesmente "humilha " a BMW , a Explorer pode não ter todos os atributos tecnológicos da Bmw .. mais também "não quebra os mesmos " O famoso Esa , Evo so da problema meu caro .. e deu de fato nas 2 ultimas BmW que comprei . Tive uma Tiger 1.050 e ainda tenho ela do ladinho da minha Explorer ,vamso ver desta forma .. BMW e para quem quer ter status e dar um role mais avançado , Triumph e para deixar pros netos . Abços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Asterik. TODA moto dá problemas! Deixar para os netos é mais uma questão de cuidado com a moto do que a mesma prestar ou não. Tanto é assim que até hoje temos rodando BMW R80GS, não fazendo nem um pouco feio frente as mais novas big trails. Tenho notícias de uma série de problemas, sim, em BMWs. Mas igualmente, vejo pulularem reclamações quanto as Triumphs. Enfim, basta termos motos rodando para surgirem reclamações. Com uns modelos e marcas mais, outras menos. O melhor, é claro, é ter várias na garagem, como você pode fazer! Abraços!

      Excluir
    2. Só se fala q a bmw é melhor quem nunca teve uma triumph , é uma bigtrail com uma tocada esportiva

      Excluir
  8. Eu estava na duvida, mas voces me convenceram - vou na Explorer!

    ResponderExcluir
  9. As duas ultimas moto que tive foram BMW GS 1200, acabei de comprara a a Tiger Explorer, . São motos diferentes e particularidade diferentes, mas o prazer de acelerar a Explorer , isso a GS não tem para oferecer não.
    Ambas são boas porem Eu estava afins de experimentar outra moto, e digo que estou muito satisteito, boa de curva, bom freio e bom o consumo .
    A grande diferença que a Gs sobressai é o famoso Telelever isso Eu senti a diferença.

    ResponderExcluir